facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 22 de Maio de 2024
22 de Maio de 2024

01 de Setembro de 2010, 12h:00 - A | A

POLÍTICA /

PSDB quer que ministro Mantega explique quebra de sigilos fiscais



Laryssa Borges
Direto de Brasília

A bancada oposicionista no Senado tentará, na manhã desta quarta-feira (1), aprovar requerimento de convocação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, para que ele explique as quebras de sigilo fiscal do vice-presidente executivo do PSDB, Eduardo Jorge, de outras pessoas ligadas aos quadros tucanos e, mais recentemente, a suposta violação do sigilo de Verônica Serra, filha do presidenciável José Serra (PSDB).

Caso aprovada a convocação por meio de um requerimento do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Mantega não pode se recusar a comparecer ao colegiado para dar explicações aos parlamentares. As comissões permanentes do Senado têm a prerrogativa de convocar ministros de Estado, mas podem apenas convidar outras pessoas.

Reportagem do jornal O Estado de São Paulo desta terça (31), aponta que documentos da investigação da Corregedoria da Receita Federal revelam um acesso aos dados fiscais de Verônica Serra no dia 30 de setembro de 2009, que teria sido feito pela funcionária Lúcia de Fátima Gonçalves Milan, da agência da Receita em Santo André (SP). A Receita Federal diz que tinha uma procuração para acessar os dados sigilosos de Verônica. José Serra nega que a filha tenha autorizado alguém a consultar as informações fiscais.

O chefe de gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gilberto Carvalho, afirmou nesta terça ao Terra que a suposta violação do sigilo de Verônica pode até ser fruto de uma disputa interna entre caciques do PSDB. Carvalho observou que a campanha da petista Dilma Rousseff não tem qualquer relação com o suposto acesso imotivado das informações tributárias de Verônica e pediu "prudência" na condução da nova denúncia. Representantes da oposição classificaram o episódio envolvendo Verônica, se confirmado, de "um absurdo".

Comente esta notícia