Cuiabá, 02 de Julho de 2022
logo

Quinta-feira, 03 de Novembro de 2011, 13h:51 - A | A

CASO AGER

Emanuel Pinheiro critica atuação de promotor do MPE

Para o deputado estadual, o promotor Miguel Slhessarenko foi além de suas funções

INARA FONSECA

Defensor do fim do monopólio dos transportes em Mato Grosso, o deputado estadual Emanuel Pinheiro (PR) criticou nesta quinta-feira (03) o promotor do Ministério Público Estadual (MPE), Miguel Slhessarenko. De acordo com o republicano, o promotor estaria ultrapassando os limites de seu cargo. Antes de a Assembleia Legislativa derrubar o veto do governador Silval Barbosa (PMDB), na última quarta-feira (26), ao projeto da Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Ager), o promotor anunciou publicamente que o Estado teria prejuízos financeiros.

“Admiro o trabalho do MPE, mas o Miguel Slhessarenko está exacerbando as funções dele. Ele tem é que exigir o cumprimento do TAC (Termo de Ajustamento de Conduta). Tem que parar com esse exercício de futurologia, aliás, só previsão trágica. A lei está aí e temos que executá-la”, afirmou Emanuel Pinheiro.

Contrariando a base governista e a Ager, o deputado afirmou que a livre concorrência e a competitividade trarão melhoras ao sistema de transporte público para a população cuiabana. Emanuel Pinheiro ainda questionou a atuação da autarquia em Mato Grosso.

“Cabe a Ager fiscalizar o sistema de transporte, a lei diz que a frota tem que ser trocada a cada sete anos e ninguém trocou. Cadê a fiscalização? A Ager existe para regular o setor. A autarquia também é responsável por fiscalizar as telecomunicações, a energia e saneamento. E aí, o que ela fez até hoje?”, questionou o parlamentar.

Após longos meses de discussão, a Assembleia derrubou o veto da Ager na semana passada (26). Em abril de 2010, o prazo para a realização de uma licitação para a exploração da concessão das linhas intermunicipais do Estado, firmada com o MPE através de um Termo de Ajustamento de Conduto (TAC), venceu gerando multas inicialmente de R$ 30 mil e posteriormente de R$ 100 mil por dia, além de notificações ao governador Sival Barbosa (PMDB).

Comente esta notícia

TERVANIO ALVES 04/11/2011

É ISSO AI DEP EMANUEL PINHEIRO, NAO DA MOLE PRA AGER, ESSE POVO NAO FAZ NADA EM BENEFICIO DA POPULAÇAO.

1 comentários

1 de 1