Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

29 de Setembro de 2022, 15h:36 - A | A

POLÍCIA / “LIVREI DE UMA VIDA IGUAL A MINHA”

Mãe que envenenou, afogou e esfaqueou filhas diz que “fez bem” para as crianças

Isadora Alves de Faria, 30 anos, que confessou ter matado as duas filhas, Maria Alice, 6 anos, e Lavínia, 10, prestou depoimento oficial nessa quarta-feira (28) e foi entregue no presídio

MÁRIO ANDREAZZA
G5 NEWS



Isadora Alves de Faria, 30 anos, que confessou ter matado as duas filhas, Maria Alice, 6 anos, e Lavínia, 10, dentro de casa na manhã desta terça-feira (27) no Setor Samambaia, em Edéia, (120 km da Capital), prestou depoimento oficial nessa quarta-feira (28), quanto disse ao delegado Daniel Moura que “fez bem” às crianças ao livrar de uma vida igual à dela.

Segundo o investigador, Isadora, em detalhes, disse que envenenou as filhas, porém, percebeu que não conseguiria matar, então tentou eletrocutar as meninas dentro de uma caixa d'água com fios elétricos, percebeu que também não ia funcionar. Assim, afogou as crianças e, quando viu as filhas inconscientes, colocou no colchão e deu facadas no peito para ter certeza que matou.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Chamou atenção do delegado o fato de a acusada relatar todos os fatos sem chorar em nenhum momento, já que falava das filhas, e não demonstrar arrependimento dos assassinatos.

“Na cabeça dela, ela tinha feito um bem para as crianças. Ela acha que ela livrou as meninas de viver uma vida q ela viveu”, disse Daniel Moura.

A acusada ainda passou por audiência de custódia, quando o juiz Hermes Pereira Vidigal apontou a ação da acusada como “fria, repugnante e cruel”, ressaltou o risco à sociedade se colocada em liberdade e converteu a prisão em flagrante em preventiva.Leia mais em G5NEWS

Comente esta notícia