facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 20 de Junho de 2024
20 de Junho de 2024

01 de Dezembro de 2022, 11h:57 - A | A

PODERES / TRUCULÊNCIA NO FLORAIS

Mauro concorda com afastamento de delegado e cobra "apuração à altura" sobre abuso de autoridade

Fala do governador vem depois da decisão do delegado de pedir afastamento remunerado das suas funções.

APARECIDO CARMO
DO REPÓRTER MT



O governador Mauro Mendes (União) disse que espera que a condução das investigações sobre o caso do delegado Bruno França, que invadiu uma casa no condomínio Florais dos Lagos e apontou uma arma para uma mulher, dizendo que ia “estourar a cabeça" dela, seja devidamente investigado de acordo com a gravidade do ato. A declaração foi feita nessa quinta-feira (1º), em evento na Associação Mato-Grossense dos Municípios.

“Olha, a secretaria e a Polícia Civil já falaram sobre isso. Eu concordo com a nota deles, tem que ter uma apuração realmente à altura do que aconteceu. Acho que eles devem, provavelmente, afastar esse delegado, fazer uma apuração e dentro daquilo que estabelece a legislação dar o devido tratamento”, disse o governador.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A declaração de Mauro vem após Bruno França pedir afastamento não remunerado da Polícia Judiciária Civil, em razão da repercussão do caso.

Na segunda-feira (28), ele invadiu a casa da empresária Fabíola Martins, que teria desobedecido uma ordem de restrição que a impedia de se aproximar do enteado de Bruno, o que motivou, segundo ele, prisão em flagrante. Segundo a defesa da família, contudo, Fabíola sequer sabia da existência da ordem judicial, porque o processo corre em sigilo e porque ela não foi devidamente notificada pela Justiça.

LEIA MAIS - Delegado não se arrepende de abordagem, mas pede desculpas por trauma causado a criança

Em nota, Bruno França diz que "abusou em suas verbalizações", mas que não se arrepende ação contra a empresária. Apesar disso, o delegado pediu desculpas por eventuais traumas que tenha causado na criança de quatro anos, filha da empresária, que testemunhou toda a ação e, segundo a defesa da família, teve a arma apontada em sua direção.

"Isso foi um erro pelo qual peço, a todos, as mais sinceras desculpas. Tal excesso, em que pese ser injustificável, é alicerçado por certa compreensividade, considerando que me encontrava em situação em que meu enteado estava sendo vitimado e, minutos antes, havia se dirigido a mim em estado de terror", disse.

A seccional mato-grossense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) havia pedido o afastamento do delegado em razão do seu comportamento e por ter agredido verbalmente o advogado da família, Rodrigo Pouso, quando este acompanhava sua cliente na delegacia.

Bruno França deve responder um processo administrativo na Corregedoria da Polícia Judiciária Civil. Ele está em estágio probatório na instituição, onde ingressou há cerca de 7 meses.

LEIA MAIS - Delegado que invadiu residência e ameaçou "estourar cabeça" de mulher pede afastamento do cargo

Comente esta notícia