facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

01 de Dezembro de 2022, 08h:35 - A | A

GERAL / ACUSADO DE TRUCULÊNCIA

Delegado que invadiu residência e ameaçou "estourar cabeça" de mulher pede afastamento do cargo

Bruno França pediu afastamento não remunerado por 30 dias

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTER MT



O delegado Bruno França, que na última segunda-feira (28) invadiu uma residência no Condomínio Florais dos Lagos e ameaçou "estourar a cabeça" da empresária Fabíola Martins, tudo diante da filha da mulher, de apenas 4 anos, pediu afastamento do cargo. Na delegacia, ainda agrediu verbalmente o advogado dela, Rodrigo Pouso.

Ele pediu afastamento não remunerado do cargo, por 30 dias, podendo ser prorrogados por mais 30.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Por meio de nota divulgada à imprensa nesta quinta-feira (01), informou que pediu afastamento voluntário, logo após a Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso (OAB-MT) afirmar que faria o pedido junto à corregedoria da Polícia Civil.

“Se os nobres colegas entendem que é melhor para saúde do procedimento que eu momentaneamente me afaste de minhas funções, voluntariamente atendo o pleito. Logo, desde já, antecipo que solicitei à Corregedoria de Polícia Civil meu afastamento não remunerado pelo prazo de 30 dias, renováveis por mais 30 se entenderem necessário ou até o final das apurações”, escreveu.

A abordagem de França à família foi filmada e ele tem sido acusado de abuso de autoridade e coação, desde então.

A empresária, segundo delegado, é acusada de descumprir uma medida protetiva concedida pela Justiça em favor de seu enteado de 13 anos, que estaria sendo perseguido por ela. Na delegacia, após interrogatório, França ainda agrediu o advogado Rodrigo Pouso, a quem pediu desculpas nesta quinta.

Em nota, o delegado reconheceu que "se excedeu" e pediu desculpas ao advogado e à Ordem.

“Aos membros da Ordem dos Advogados do Brasil que por tantos anos ombreei em busca de justiça, peço desculpas pelo ato injustificável que realizei em desfavor do Dr. Rodrigo Pouso. Esclareço que no momento das ofensas o procedimento de condução já havia terminado e me encontrava no saguão da delegacia dando apoio ao meu enteado que aguardava para ser ouvido”, disse.

França está há apenas 7 meses no cargo, em estágio probatório, portanto, não tem estabilidade como delegado e pode ser exonerado se as investigações confirmarem abuso de autoridade.

 

Comente esta notícia