Cuiabá, 08 de Fevereiro de 2023
logo

05 de Janeiro de 2023, 16h:20 - A | A

PODERES / COLAPSO NA SAÚDE

Emanuel volta atrás e entra com novo recurso no STJ para derrubar intervenção

A ação foi protocolada na tarde de quarta-feira (04), e ainda será apreciada pela presidente da Corte, ministra Maria Thereza de Assis Lima.

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTER MT



A Prefeitura de Cuiabá voltou atrás e ingressou, na tarde de quarta-feira (04), com um novo recurso no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para tentar derrubar a decisão do desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Orlando Perri, que decretou a intervenção do Estado na Secretaria Municipal de Saúde da Capital.

A intervenção foi determinada pela Justiça do Estado no final do mês passado, atendendo a um pedido de urgência do Ministério Público Estadual (MPE), que alegou que o sistema de saúde da Capital “colapsou” e está em “calamidade pública”.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

No pedido de Suspensão de Liminar e Sentença (SLS) o procurador-geral do Município (PGM), Allison Akerley da Silva, argumentou que a decisão de Perri traz evidente lesão ao município, pois teve subtraída sua autonomia garantida pela Constituição Federal.

A prefeitura argumenta que a intervenção é uma medida que só é justificada em casos de indisfarçável gravidade e que a medida ocorre no momento em que a Saúde do Município iniciava os preparativos para o enfrentamento da nova onda da covid-19.

"Assim, decisões judiciais nos termos dos presentes autos, tendem a caracterizar verdadeira usurpação de competências constitucionais reservadas ao Poder Executivo – exercer a direção da Administração – e ao Poder Legislativo – autorizar a transposição, remanejamento ou transferência de recursos de uma categoria de programação para outra ou de um órgão para outro – em violação a legislação orçamentária", justificou o procurador-geral.

O pedido ainda será apreciado pela residente da Corte, ministra Maria Thereza de Assis Lima.

Novo recurso

Na última terça-feira (03), o Município havia pedido desistência do primeiro recurso, que foi homologado pela ministra Maria Thereza de Assis Lima.

A informação era que o Executivo tinha reanalisado e entendido que seria causa perdida e estava trabalhando para recorrer da decisão do Perri no Supremo Tribunal Federal.

Leia também

Interventor aponta rombo de R$ 350 milhões na Secretaria de Saúde de Cuiabá

Intervenção aponta que falta de médicos e remédios deixa 139.500 cuiabanos desassistidos

Comente esta notícia

Afonsão 05/01/2023

O Nenéu raspou o cofre Que limpa!!!

1 comentários

1 de 1