Cuiabá, 02 de Outubro de 2022
logo

16 de Agosto de 2022, 11h:11 - A | A

PODERES / ELEIÇÕES 2022

Diógenes recua e deixa Wellington sem segundo suplente

O nome da ex-prefeita de Sinop (500 km de Cuiabá), Rosana Martinelli (PL) está sendo cotado para compor a chapa.

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTER MT



O produtor rural de Nova Mutum (264 km de Cuiabá), Joaquim Diógenes Jacobsen (PSB), desistiu de ocupar a segunda suplência na chapa do senador Wellington Fagundes (PL), que busca a reeleição este ano. De acordo com o ex-secretário da Casa Civil, Mauro Carvalho (União Brasil), primeiro suplente, o grupo devem decidir ainda hoje quem será o substituto.

“Já fomos comunicados oficialmente e o grupo político vai tomar uma decisão. Não é uma decisão restrita ao PL, União Brasil e PSB, mas a todos os apoiadores do projeto político”, disse, na manhã desta terça-feira (16), durante lançamento da campanha à reeleição do governador Mauro Mendes, na sede do União Brasil.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Mesmo encerrado o prazo para registro de candidaturas na segunda-feira (15), Carvalho explicou que a alteração ainda é possível, tendo em vista que Diógenes desistiu da candidatura.

"Essa construção deve estar acontecendo entre hoje e amanhã, para a gente definir realmente, até porque precisamos rodar material de campanha, então temos que definir essa situação. Hoje é um dia extremamente importante para o grupo, para realmente bater o martelo junto com o PSB, logicamente", explicou.

De acordo com o calendário eleitoral, até o dia 12 de setembro é permitido pedir a substituição de candidatas ou de candidatos para os cargos majoritários e proporcionais.

O grupo busca nomes para realizar a substituição. Um dos mais cotados para a segunda suplência é o da ex-prefeita de Sinop (500 km de Cuiabá), Rosana Martinelli (PL). Quando questionado sobre o nome da ex-prefeita, Carvalho afirmou que ela é um bom quadro.

“Rosana Martinelli representa uma liderança grande no nortão. Foi prefeita de Sinop, com excelente mandato. Não quis ir para reeleição. Vários prefeitos da região norte apoiam o nome dela. Se der tudo certo e ela vier para nossa chapa, com certeza vai agregar muito”, disse.

Entretanto, Mauro Carvalho lembra que existe compromisso do grupo com o Partido Socialista Brasileiro, mas enfatizou que é preciso saber se eles ainda querem continuar.

"A vinda do PSB na coligação agregou muito, existe esse compromisso da indicação, então temos que avaliar se o PSB quer continuar ou não", emendou.

O produtor rural estava colocado como segundo suplente de Wellington, mas antes de ser indicado, trabalhava para ser candidato a deputado estadual. A indicação a suplente veio como parte de acordo costurado pelo governador, após as convenções partidárias.

Comente esta notícia