Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

10 de Novembro de 2014, 11h:31 - A | A

POLÍTICA / TÔ FORA!

Wellington rejeita ministério de Dilma e diz que ficará no Senado

Ele afirmou que o partido vai indicar o senador Antônio Carlos Rodrigues para assumir Transportes

ANA ADÉLIA JÁCOMO
DA REDAÇÃO



Senador eleito pelo PR, o deputado federal Wellington Fagundes afirmou nesta segunda-feira (10) que não irá assumir o Ministério dos Transportes, como havia sido ventilado nos bastidores desde a semana passada.

Com a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), as mudanças nos ministérios começam a ocorrer a partir de 31 de dezembro, e a petista teria o objetivo de atender alas do PR na nova composição.

Wellington, que vem se articulando desde 2010 para o Senado Federal, está em Montevidéu, no Uruguai, e enviou nota oficial à imprensa para desmentir os boatos e afirmar que o PR irá indicar o senador Antônio Carlos Rodrigues, de São Paulo, suplente da senadora Marta Suplicy, para a vaga.

Outro objetivo do PR seria manter o produtor Neri Geller no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Wellington declarou que irá se empenhar na missão de exercer o mandato de senador, cargo para o qual foi eleito este ano com 48,19% do eleitorado, o que representa 646.344 votos.

Confira a íntegra da nota oficial enviada pelo senador:

Diante das informações publicadas pela imprensa nacional e deste Estado sobre minha possível indicação ao cargo de ministro dos Transportes do novo Governo da presidenta Dilma Rousseff, uso desta para informar que:

1) Fui eleito em outubro, com a missão de ser senador da República por Mato Grosso, cargo que pretendo exercer em toda sua plenitude com vistas a ajudar o nosso Estado em todas as áreas; 

2) A indicação de um cargo dessa magnitude e de real importância para o nosso Estado, de economia voltada fundamentalmente a base logística, é de caráter exclusiva da nossa presidenta;

3) O Partido da República, da qual faço parte,  como aliado na eleição da presidenta e participante ativo da elaboração das políticas públicas e governabilidade, vem discutindo internamente, com naturalidade,  vários aspectos sobre a forma de participação nesse novo Governo;

4) Quanto a um eventual chamamento do PR para composição do Ministério dos Transportes, vejo com grande entusiasmo a indicação do nome do senador  Antônio Carlos Rodrigues, de São Paulo, suplente da senadora Marta Suplicy, com o qual dispomos  de grande liberdade e laços de amizade,  de forma a nos permitir  dar continuidade ao projeto estratégico de Mato Grosso, que é o de continuar avançando na logística de transportes, através da restauração, pavimentação e duplicação da malha viária federal e outros meios, como a ferrovia e a hidrovia, essenciais ao nosso desenvolvimento econômico e social;

5) Também, em outra frente, estou trabalhando, desde a minha eleição, para que Mato Grosso conserve sua posição na composição ministerial desse novo Governo, com a manutenção do produtor Neri Geller no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, para darmos prosseguimento aos avanços no segmento do agronegócio e toda a cadeia produtiva – incentivando a ampliação das políticas visando não apenas o grande, mas também os  pequenos  e os médio produtores.  

6) Sinto-me honrado pelo fato de alguns segmentos apontarem meu nome para ocupação do Ministério dos Transportes, pela sua relevância e grau estratégico. Contudo, reafirmou que meu propósito neste momento é o do pleno exercício do mandato o qual o povo de Mato Grosso me delegou como senador da República, ao qual me preparei muito e através do qual, a exemplo do que sempre norteou a minha vida política, pretendo honrar essa confiança com mais trabalho e dedicação.

Comente esta notícia