Cuiabá, 20 de Agosto de 2022
logo

15 de Dezembro de 2017, 08h:20 - A | A

OPINIÃO / GRACI OURIVES

Estado, desperte!

Autoridades, despertem e sigam o mesmo caminho!



“Cada um tem de mim exatamente o que cativou, e cada um é responsável pelo que cativou, não suporto falsidade e mentira, a verdade pode machucar, mas é sempre mais digna (Charles Chaplin, 1889-1977).

Atualmente, o mundo tecnológico é uma das ferramentas para que os cidadãos batalhem para adquirir seus direitos básicos que estão previstos na Constituição.

Foi por meio das ferramentas digitais que conheci o trabalho e dedicação do Juiz Geraldo Fidélis, titular da Vara de Execuções Penais de Cuiabá-MT.

Elaborei um artigo com dados das entrevistas dos jornalistas:  Cátia Alves e Jefferson Oliveira, em 07/12/2017, ao jornal CircuitoMT.

Há de se notar que algumas autoridades estão distantes do cumprimento das leis. E mais grave, ainda, é que estão sem tempo para sentir a dor da população. O discurso do Juiz Fidélis é atualizado. Lamentável, o Estado abandonou parcialmente a sociedade?

Há o clamor do Juiz Geraldo Fidélis para que o Estado pratique ações urgentes para salvar vidas.

Basta dizer que foi detectado pelo juiz Fidélis que há celas - Penitenciaria Central do Estado (PCE) - que estão abrigando quatro vezes mais cidadãos que deveriam. 

O Dr. Geraldo Fidelis, em 07/12/2017, disse: “E a partir daí que temos os casos de problemas de saúde.

Uma pessoa de fora entra lá para a visita, tosse em meio àquelas pessoas que estão presas, contagia a outra e bum! é uma bomba atômica. Aquele lugar é insalubre para qualquer pessoa. Não tem lugar no chão, você não consegue enxergar o chão. É um por cima do outro. Lá eles fazem rodízio para dormir, cinco pessoas ficam em pé para as outras dormirem e ficam se revezando.

Não tem lugar para encostar o corpo e nisso Mato Grosso está praticando um crime de tortura. Pode ser levado a ser julgado nos tribunais internacionais, como o Brasil foi na questão da mulher vítima de violência doméstica. Isso é muito ruim para Mato Grosso.

Eu estou falando da minha ciência da PCE, raio 1, 3 e 4. Não temos mais vagas em nenhum lugar no Estado hoje para colocar presos.”. (Conforme a entrevista para os jornalistas Cátia Alves e Jefferson Oliveira, do Circuito-MT.)

O Juiz Fidélis dedica seu cotidiano às leituras de processos, visitas aos presídios, mesmo não tendo estruturas logísticas para evitar infecções, o juiz sempre o fez. Basta verificar nos meios de comunicação.

Por outro lado, o Governador do Estado de Mato Grosso-MT, José Pedro Gonçalves Taques, esteve em Brasília, em 09/12 de 2017, para a 14ª Convenção Nacional, em que o Governador Geraldo Alckmin, foi eleito líder do PSDB. 

Parabéns por valorizar seu parceiro político, mas, nós, mato-grossenses, necessitamos da sua presença. Os cidadãos estão povoando o Morro da Luz para utilizar crack e muitas outras drogas ilícitas.

Precisamos minimizar o analfabetismo. A obra do Hospital Júlio Müller-HUJM está há quase dez anos! Cadê o Estado? Pagamos nossos impostos. Os eleitos necessitam estar mais junto dos cidadãos.  

Autoridades, não podemos esquecer que toda mudança e qualquer movimento para o bem-estar depende somente de nossa própria vontade. Então, vamos nos unir por uma sociedade com mais justiça e mais humanização. Atualmente, é somente descaso e abandono.

O Juiz Geraldo Fidelis, que sabe utilizar sua chancela com caráter moral e ético, apontou com sabedoria ações que devem ser praticadas. 

Autoridades, despertem e sigam o mesmo caminho! Visitem os locais públicos. Os cidadãos precisam de direitos básicos. 

A sociedade   votou e Vossas Excelências exercem o poder. 

Ainda mais os senhores, os eleitos, têm tudo o que o poder lhes proporciona - “conforto”.

O povo precisa de: saúde, ecossistema equilibrado, educação e segurança.  

Autoridades, celeridade para ler o discurso do Juiz Geraldo Fidélis e mais ações urgentes para melhor a vida da população.

GRACI OURIVES DE MIRANDA é professora de Português/Literaturas: Língua Portuguesa e Inglês/Literatura Inglesa. Formada UFMT.

go.miranda@uol.com.br

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia