Cuiabá, 02 de Julho de 2022
logo

Quarta-feira, 26 de Outubro de 2011, 07h:36 - A | A

LISTA DE ESPERA

Após dias acampadas, 88 famílias não conseguem vagas em creche

Os pais de alunos estiveram acampados em frente das escolas por quase uma semana

MAYARA MICHELS

O total foi de 88 pais que não conseguiram matricular seus filhos nas creches estaduais – Maria Eunice Duarte e Nasla Ashar. As matrículas encerraram nesta terça-feira (25). São apenas 90 vagas disponíveis (45 cada unidade). O total de pessoas interessadas chegou a 178 famílias.

A Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso (Seduc/MT) antecipou para esta terça-feira a abertura oficial do calendário de matrículas devido o grande número de famílias que acamparam em frente às escolas para garantir a vaga aos filhos. O prazo inicial estava previsto para dia 04 de novembro.

Os pais terão que comparecer  para uma entrevista pessoalmente com a diretora, nos dias 8 e 9 de novembro. Caso eles não compareçam, a vaga é repassada para o próximo da lista de espera.

Segundo a diretora da creche Maria Eunice Duarte, Maria Pacheco Sampaio, a matrícula obedeceu à ordem de chegada. “As pessoas que não conseguiram matricular seus filhos estão em uma lista de espera. Caso alguém desista ou não compareça para entrevista o próximo da fila é chamado”, informou a diretora. A creche está localizada na Rua G do Centro Político Administrativo da Capital.

Na creche Nasla Aschar, a diretora Tônia Gusmão disse que os 45 pais que ficaram acampados conseguiram as vagas. Apenas dez famílias ficaram de fora do processo. Eles tiveram seu nome em uma lista de espera sob responsabilidade da diretora. “As matrículas foram feitas sem tumulto e por volta das 14h todas já haviam sido preenchidas”, disse a diretora. A creche fica em frente ao Ginásio Verdinho, na Morada da Serra.

Segundo a secretária adjunta de Políticas Educacionais da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Fátima Resende, não há como atender toda a demanda. “Não possuímos capacidade de ampliação para atendimento da demanda porque é de atribuição dos municípios prestar esse atendimento”, afirmou.

Comente esta notícia