facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 27 de Maio de 2024
27 de Maio de 2024

08 de Novembro de 2010, 11h:27 - A | A

POLÍTICA /

Usar o carro está 5,17% mais caro e já custa R$ 895 por mês em média



Do Diarionet

O uso e a manutenção do carro ficaram 1,68% em outubro e no ano acumulam alta de 5,17%. O levantamento feito pela agência AutoInforme abrange 60 estabelecimentos e  cinco segmentos da cesta de produtos e serviços: peças, mão de obra, serviços automotivos, impostos e seguros. 

O álcool, com aumento de 9,5%, foi o item que mais impulsionou a inflação do carro em outubro. É a quarta alta mensal seguida do combustível, que está com os estoques reduzidos. Em São Paulo, a alta foi ainda maior, de 16,97% e o preço médio do litro passou a custar R$ 1,52. A gasolina teve alta de 0,48% em outubro. 

Depois do álcool, a lona de freio foi o item que mais subiu, 1,91%, seguido pelo filtro de combustível, 1,5%. Já as maiores quedas ocorreram no preço do filtro de ar, -1,19%, e da correia dentada, -0,78%.

No ano, serviços como estacionamento, lavagem, balanceamento de rodas, revisões e alinhamento de direção ficaram 17,56% mais caros. Entre os produtos necessários à manutenção, a alta é de 6,14%. O preço do seguro, que tem bastante peso na composição final dos custos, já subiu 4%.

O proprietário, que muitas vezes não tem noção de quanto gasta para manter o carro, deve saber que, em outubro, o custo médio de uso e manutenção foi de R$ 895,00. Segundo a AutoInforme, o gasto mensal corresponde a um carro pequeno seminovo. Por ano, portanto, o motorista já desembolsa R$ 10.740, sem considerar o valor da prestação e de eventuais despesas com equipamentos e acessórios.

Confira os itens que ficaram mais caros em outubro:

Álcool                            9,5%

Lona de freio                1,95%

Filtro de combustível      1,55%

Pneus                          1,44%

E as principais quedas:

Filtro de ar                     -1,19%

Correia dentada              -0,78%

Mão-de-obra/revisões   -0,77%

Estacionamento mensal   -0,55%

Comente esta notícia