Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

13 de Novembro de 2016, 11h:08 - A | A

POLÍTICA / NOVO SECRETÁRIO DE CIDADES

'Sair da Assembleia sem governo repassar emendas é constrangedor', diz Wilson

O tucano que vai assumir a Secretaria de Cidades, declarou ter cobrado os repasses do governador, e ressalta a importância em manter bom relacionamento entre Executivo e Legislativo.

RAFAEL DE SOUSA
DA REDAÇÃO



O deputado estadual, Wilson Santos (PSDB), que assume o comando da Secretaria de Cidades, na próxima semana, disse que deixar a Assembleia Legislativa, sem que o governo repasse os valores referentes às emendas parlamentares é constrangedor. O tucano, que demonstra aos colegas que prefere manter uma um relação de boa convivência, garantiu que cobrou o governador Pedro Taques (PSDB) sobre o assunto, durante a reunião que confirmou seu nome como novo secretário, nesta quinta-feira (11). 

"Isso é uma situação que coloquei ao governador porque não posso sair da Assembleia, ir para Secretaria sem cumprir os compromissos com os meus colegas. Aí eu fico numa situação constrangedora”, afirma Wilson.

“É fundamental que a gente garanta o pagamento das emendas aos deputados, e nós temos que garantir. Isso é uma situação que coloquei ao governador porque não posso sair da Assembleia, ir para Secretaria sem cumprir os compromissos com os meus colegas. Aí eu fico numa situação constrangedora”, afirma Wilson.  

Devido à crise econômica em que passa o país e o estado de Mato Grosso, o governo tem atrasado os pagamentos das emendas parlamentares e isso gerou muita discussão durante a semana. O deputado Oscar Bezerra (PSB), por exemplo, chegou a dizer na tribuna que iria deixar base aliada do governo caso o repasse não fosse feito. Ele afirmou que pactuou com o Estado o destino de uma emenda de R$ 2,5 milhões, que deveriam ser repassados para a Unemat, o que não aconteceu. A fala causou reação por parte do secretário da Casa Civil, Paulo Taques, que rebateu afirmando que Bezerra era livre para decidir seu destino político. (Clique aqui e veja).

Porém, o deputado acredita que mesmo diante da crise é importante regularizar os pagamentos aos parlamentares com o objetivo de manter o bom relacionamento com a Casa de Leis. “Nós temos que cumprir as emendas, não são todas, mas parte” frisou o tucano.

A partir de agora, Wilson garante que será diferente e não terá dificuldades em lidar com os parlamentares. “Já que sou membro do Parlamento, acredito que tenho mais facilidade nessa relação com os deputados”, avalia.

 

 

Comente esta notícia

Luiz 13/11/2016

Constrangedor é contratar pessoas e pagar com cheque sem fundos.

1 comentários

1 de 1