facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 24 de Maio de 2024
24 de Maio de 2024

06 de Novembro de 2010, 11h:47 - A | A

POLÍTICA /

Radares e lombadas eletrônicas vão controlar trânsito caótico da Capital



André Michells
da redação

O Prefeito de Cuiabá, Francisco Belo Galindo, anunciou a instalação de radares e lombadas eletrônicas na Capital, para conter a violência cada vez maior no trânsito da cidade. O anúncio foi feito durante entrevista à TV centro América (Globo), que veiculou reportagem mostrando o caos em que se transformaram ruas e avenidas da maior cidade de MT. O prefeito informou que vai lançar em breve o edital para contratar empresa para instalar os radares. Os aparelhos devem estar funcionando já no ano que vem.

A cidade conta hoje com apenas 70 agentes de trânsito, os chamados amarelinhos. O ideal seria 300 trabalhando simultaneamente, segundo pesquisa sobre segurança de tráfego conduzida pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Assim sendo, a cidade deveria contar com pelo menos 600 agentes, divididos em dois turnos. De acordo com dados do Departamento Estadual de Trânsito, Detran-MT, Cuiabá possui frota de quase 300 mil veículos cadastrados. Isso sem levar em conta os chamados flutuantes, ou seja, circulantes na cidade com placas de outros municípios. Questionado sobre melhor fiscalização, Chico Galindo concordou que deve haver, mas lembrou que em lugares onde existem radares o índice de acidentes foi drasticamente reduzido.

 “O número de amarelinhos hoje é insuficiente para controlar a estupidez de grande parte dos motoristas que circulam pela Capital, cujo trânsito mata por ano, cerca de 200 pessoas e deixa outras 3 mil com alguma seqüela”, diz o diretor de Habilitação do Detran-MT, Eugênio Destri.

Cuiabá, juntamente com Boa Vista (RR) são as únicas capitais de estado que não possuem o sistema eletrônico de fiscalização, curiosamente as duas possuem índices africanos de violência no trânsito, com cerca de 30 mortes por cada grupo de 100 mil pessoas, segundo dados da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet). Em São Paulo, o número é de 11 e em Salvador, apenas 09. Números estes conseguidos depois da instalação de mecanismos de fiscalização eletrônica.

"Eu sou a favor da educação, e os radares são uma forma de educar. O edital do processo licitatório já está bem adiantado e, no mais tardar em 2011, vai estar à disposição da empresa vencedora para instalar os radares. Acho que é uma forma espetacular de evitar acidentes, mesmo sendo impopular. O objetivo é salvar vidas", afirmou o prefeito.

O presidente do Detran, Teodoro Moreira Lopes (o Dóia), concorda com a atitude do prefeito Galindo e disse que a autarquia, desde que solicitada, vai ajudar o município na implantação dos equipamentos. dóia, desde que assumiu a presidência do Detran, em 2007, defende a instalação de sistemas eletrônicos de fiscalização. O presidente disse que houve falta de coragem do prefeito antecessor e que vai ajudar o prefeito no que for preciso.

"Apoio e parabenizo o prefeito pela iniciativa, deixada de lado por falta de coragem do antecessor e sob pretexto de ser uma indústria de multas. Na verdade, o que temos hoje, é a indútria da impunidade. Não se pode fazer damagogia com o trânsito e muito menos com a vida das pessoas, destacou Dóia.  



Comente esta notícia