facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 18 de Julho de 2024
18 de Julho de 2024

22 de Junho de 2010, 23h:24 - A | A

POLÍTICA /

PDT e PPS abandonam Mauro Mendes e apóiam Wilson Santos

Izabela Andrade e Rubens de Souza 24horas News



Não tem mais volta, o PPS  bateu o martelo e irá apoiar a candidatura de o ex-prefeito de Cuiabá, Wilson Santos (PSDB), pelo menos é o que informa o vereador Ivan Evangelista (PPS) que resolveu “chutar o balde”  e hipotecar apoio ao tucano.

“A Coligação que apóia Mauro é fantasma não elege ninguém, e nós não somos loucos de levar o PPS para o buraco” disse Ivan Evangelista.

Em reunião  na tarde desta terça-feira (22.06) com o presidente da executiva nacional do PPS Roberto Freire, Ivan em companhia do ex-prefeito de Cuiabá, o tucano Wilson Santos expuseram a fragilidade do projeto Mato Grosso Muito Mais e defenderam a tese de que o empresário Eduardo Moura (PPS) - pretenso candidato a deputado federal, não terá chances de eleger-se caso o PPS insista na coligação com PDT e PSB.

Segundo o vereador, Roberto Freire, pediu para cautela e anunciou que em breve novidades seriam anunciadas.

Evangelista ainda garantiu que o PDT do deputado Otaviano Pivetta, será a próxima sigla a “abandonar o barco” por conta de um projeto inconsistente. O vereador relatou ao 24 Horas News que durante o encontro, Freire recebeu um telefonema de membro da cúpula nacional do PDT, o qual assegurou a saída da legenda por insatisfação ao projeto de Mauro.


O vereador nunca negou que o PPS está “rachado” tendo em vista que uma parte da sigla queria apoiar a candidatura de Wilson Santos, do PSDB, ao Governo. Sem a intervenção de Freire a sigla continua a espera da decisão final, que será em breve, na convenção partidária.

 


O PPS viveu dias de insegurança. Percival Muniz garantia ter maioria e atropelara o grupo do vereador Ivan Evangelista. No confronto político os partidários por pouco não foram parar na Delegacia de Polícia para registrarem Boletim de Ocorrência, já que no primeiro encontro entre os socialistas, correligionários trocaram socos e agressões verbais, por descordarem do presidente da executiva estadual, deputado Percival Muniz.

 


Percival tentou mostrar que tem força e ganhar no grito e no voto a decisão de apoiar Mendes, mas parece que não deu muito certo. Restará a Mauro Mendes e o deputado Valtenir Pereira aceitarem composição com o PMDB que pleiteia a reeleição do governador Silval Barbosa.

 

Comente esta notícia