Cuiabá, 29 de Novembro de 2022
logo

14 de Dezembro de 2016, 16h:25 - A | A

POLÍTICA / CHICO 2000

ONG pede a cassação de vereador preso acusado de estuprar a enteada

O documento é o mecanismo que faltava para que o procedimento fosse aberto, ainda neste, ano pela Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara

FRANCISCO BORGES
DA REDAÇÃO



O Movimento Organizado pela Moralidade Pública e Cidadania (ONG Moral) ingressou com requerimento, junto à Mesa Diretora da Câmara de Cuiabá, pedindo a abertura de Processo Administrativo Disciplinar (PAD), por quebra de decoro parlamentar, contra o vereador Chico 2000 (PR).

O parlamentar é acusado de estuprar a enteada de 12 anos.

No requerimento assinado pelo diretor Gilmar Brunetto, a ONG cita que o fato de o vereador ser acusado do crime configura quebra de decoro parlamentar e deve ser punido com a cassação do mandato.

Chico 2000 foi reeleito, em outubro passado, para o quarto mandato no Legislativo cuiabano.

O documento é o mecanismo que faltava para que o procedimento fosse aberto, ainda neste, ano pela Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, conforme afirmou o presidente, vereador Toninho de Souza (PSD).

“Tenho notícia que pode haver uma representação contra ele. Tendo isso e chegando para nós ainda neste ano, iremos acolher e começar os trabalhos”, disse ele ao .

“Fechando o ano legislativo, nós poderemos dar sequência [na quebra de decoro] somente o ano que vem”

No entanto, Toninho lembrou que o ano parlamentar se encerra no próximo dia 15, fato que fará com que somente na próxima legislatura o processo continue.

“Fechando o ano legislativo, nós poderemos dar sequência [na quebra de decoro] somente o ano que vem”, disse o vereador, que lembrou que o próprio Chico 2000 é membro titular da Comissão de Ética.

O caso

Conforme a denúncia que chegou à Delegacia Especializada da Criança e do Adolescente (Deddica), da Polícia Civil, o suposto abuso teria ocorrido no dia 11 de novembro, na residência do vereador, durante uma festa da mãe da menina.

Em determinado momento, segundo a denúncia, ele teria pedido que a enteada sentasse no seu colo. Diante da situação, Chico teria supostamente aproveitado a situação e “passado” a mão nas partes íntimas na enteada.

Para não atrapalhar a festa, a menina teria deixado de contar o que ocorreu para a mãe no dia, mas no dia 16, após uma discussão com o vereador, ela resolveu contar tudo à tia.

A tia, por sua vez, procurou a delegacia e relatou tudo ao delegado Eduardo Botelho.

Após investigações da Polícia Civil, um pedido de prisão foi decretado pela Justiça. Chico 2000 está cumprindo prisão preventiva desde o dia 6 de dezembro e poderá passar o feriado de Natal na cadeia.    

Confira a íntegra da representação da ONG Moral

Reprodução

Representação

O documento foi protocolado nesta quarta-feira na Câmara de Cuiabá, contra Chico 2000

 

 

Leia mais

Juiz nega pedido de liberdade e vereador pode passar Natal na cadeia

 

 

Comente esta notícia