facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 18 de Maio de 2024
18 de Maio de 2024

09 de Abril de 2015, 14h:44 - A | A

POLÍCIA / FORA DE CIRCULAÇÃO

Pai que estuprou filha de 11 e enteada de 9 anos se entrega à Polícia

O suspeito está com mandado de prisão preventiva em aberto, decretada desde o dia 3 de abril de 2015

DA REDAÇÃO



José Graziano Portes Galvani, de 30 anos, acusado de estuprar a filha, de 11 anos, e a enteada de 9 anos, em Cuiabá, se entregou.  A informação foi confirmada pela Assessoria de Imprensa da Polícia Civil.

O acusado se entregou na Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica).

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O suspeito estava com mandado de prisão preventiva em aberto, decretada desde o dia 3 de abril de 2015 pelos crimes de estupro de vulnerável, duas vezes, e pelo artigo 240 do Estatuto da Criança e do Adolescente (Eca), por produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornografia, envolvendo criança ou adolescente.  

O crime passou a ser apurado quando a mãe da menina de 11 anos, filha biológica do acusado, procurou a Polícia no dia 31 de março, para denunciar os abusos.

A mãe relatou que no dia 26 do mês passado, a menina estava na casa da avó materna e contou para a tia que há muito tempo era abusada pelo pai. A menina não mora com pai, que é separado de sua mãe, desde o ano de 2004.  

O suspeito constituiu outra família e também passou a abusar da enteada de 9 anos, conforme confirmado no estudo psicossocial da equipe multidisciplinar da Delegacia Especializada. No relatório, as meninas descrevem de forma pormenorizada os abusos sexuais cometidos pela pai de uma e padrasto de outra.  

As crianças também contaram da existência de dois vídeos gravados quando o suspeito mantinha relações sexuais com ambas. Segundo o delegado Eduardo Botelho, os estupros ocorreram em diversas ocasiões e eram consentidos pelas meninas, que foram constrangidas a prática de atos libidinosos.  

O delegado também informou que os policiais da unidade realizaram buscas na casa em que o suspeito morava com a atual mulher e apreenderam objetos, como computadores e encaminhados à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), para localização das imagens que mostram as relações sexuais com as meninas. "Foi contatado a  existência de diversos vídeos em que crianças e adolescentes mantinham relações sexuais com pessoas adultas", disse o delegado.  

Denúncias do paradeiro do acusado podem ser feitas no 197, da Polícia Civil, ou na própria Deddica, nos telefones 9644-1299 e 3901-5700. 

Comente esta notícia

sueli 10/04/2015

Foram feitos os exames médico nas crianças?

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1