facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 13 de Julho de 2024
13 de Julho de 2024

13 de Junho de 2024, 16h:15 - A | A

POLÍCIA / ATRAÍDO PARA A MORTE

Motorista de aplicativo foi torturado por dois dias antes de ser carbonizado e teve execução filmada

A criminosa que filmou a tortura e execução foi presa na manhã desta quinta-feira durante a "Operação Sicários"

THIAGO STOFEL
REPÓRTERMT



O delegado Maurício Maciel, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá, contou que uma das mulheres presas nesta quinta-feira (13), durante a “Operação Sicários”, filmou a morte do motorista de aplicativo Jonas de Almeida Silva, em 2019. Além dela, outras mulheres que teriam atraído a vítima para a morte, também foram presas.

A operação realizou o cumprimento de mandados de prisões e buscas e apreensões contra integrantes de facções envolvidos em homicídios em Cuiabá e Várzea Grande. O assassinato de Jonas era um dos casos investigados na operação.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

LEIA MAIS - Operação prende bando de matadores em Cuiabá e VG

A autoridade policial disse que o crime foi motivado por conta de uma “situação amorosa” que não foi detalhada pelo policial.

“Neste crime, três mulheres foram presas. Duas tinham relação com o homem e atraíram ele para a morte. A outra pessoa presenciou toda tortura e filmou. Esses vídeos foram obtidos por meio do celular dela, que foi apreendido em uma outra situação em Querência”, contou o delegado.

Maurício ainda revelou que o motorista foi torturado por pelo menos dois dias antes de ser morto.

Leia mais - Motorista da Uber é sequestrado e queimado dentro de carro em VG

“É um crime extremamente covarde. A vítima foi torturada por dois dias e de várias formas possíveis, até sua morte ser consumada. E que fique claro, que a criminosa presenciou toda a tortura e gravou todo o ato”, declarou.

Na época, o corpo de Jonas de Almeida foi encontrado carbonizado no porta-malas de um veículo por um popular, em região de mata do bairro São Matheus.

As primeiras investigações apontaram que a vítima tinha sido executada por integrantes do Comando Vermelho.

Comente esta notícia