facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

18 de Junho de 2024, 18h:29 - A | A

POLÍCIA / ABORDAGEM FATAL

Investigador envolvido na morte de idoso no Contorno Leste é removido de delegacia

Jeovanio já estava afastado da atividade-fim desde o início de maio, quando a Corregedoria-Geral da Polícia Civil de Mato Grosso instaurou um PAD.

DO REPÓRTER MT



A delegada-geral da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, Daniela Silveira Maidel, removeu o investigador Jeovânio Vidal Griebel, da 1ª Delegacia de Polícia de Cuiabá. O policial é investigado pelo assassinato do pecuarista João Antônio Pinto, 87 anos, em fevereiro na região do Contorno Leste, em Cuiabá.

A decisão foi tomada no último dia 11, mas foi publicada no Boletim de Pessoal da PJC nesta terça-feira (18).

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

João Antônio foi morto a tiros no dia 23 de fevereiro durante um cumprimento de mandado em sua propriedade. De acordo a Polícia Civil, investigadores foram até a propriedade para intimar o idoso em decorrência de vários boletins registrados contra ele. Ao se aproximar da casa, João Antônio teria sacado uma arma de fogo e atirado contra a equipe. Um dos investigadores reagiu, dando início ao confronto.

Leia mais - Justiça apreende celular e determina quebra de sigilo telefônico de investigador envolvido no assassinato de idoso

Na troca de tiros, o idoso acabou baleado. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. Entretanto, a família do idoso contesta a versão.

Jeovânio estava lotado na Delegacia de Estelionato. Por determinação da Justiça, com base no pedido da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o policial foi afastado da atividade, devendo atuar apenas em atividades estritamente administrativas, com o fim de garantir a tranquilidade das investigações.

No dia 7 de junho, a DHPP cumpriu três mandados de busca e apreensão e outras medidas judiciais contra Jeovânio e o cunhado.

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Marlon Luz, com os afastamentos, a Polícia Civil busca a continuidade das investigações sem uma possível interferência do policial nos atos investigatórios e também no esclarecimento de algumas circunstâncias que ainda não se tem resposta.

“Os trabalhos investigatórios continuam para verificar se os elementos apurados confirmam ou não o que se tem de linha inicial de investigação”, disse o delegado.

O PAD segue em andamento para apurar supostas práticas de homicídio, falsidade ideológica, improbidade administrativa, além de diversas infrações administrativas imputadas ao policial.

Comente esta notícia