facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Junho de 2024
19 de Junho de 2024

23 de Maio de 2024, 14h:32 - A | A

POLÍCIA / AFASTADO DO CARGO

Defesa diz que delegado estava em serviço e Corolla com fuzil nunca saíram de MT

Delegado Denis Cardoso de Brito foi alvo da Operação Capsicum na quarta-feira (22).

RENAN MARCEL
DO REPÓRTER MT



A defesa do delegado Denis Cardoso de Brito, que foi alvo da Operação Capsicum na quarta-feira (22), negou que o seu cliente tenha utilizado carro apreendido pela polícia para transportar um fuzil até Goiânia (GO). Em nota enviada ao RepórterMT, o advogado Ricardo Moraes de Oliveira, que patrocina a defesa do delegado, disse também que o veículo "nunca cruzou a divisa do Estado de Mato Grosso, nem mesmo que fosse para dar suporte a qualquer operação em outro município".

Oliveira conta na nota que recebeu com surpresa a decisão judicial que deferiu medidas cautelares e busca e apreensão nos autos da investigação contra o delegado. E argumentou que Denis não poderia estar em dois lugares ao mesmo tempo.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Leia mais: Operação afasta delegado que se apossou de Corolla apreendido e fuzil

"Causa espécie que se esteja veiculando um suposto uso de veículo da delegacia para transporte de fuzil até a cidade de Goiânia (GO), ocorrido em 19 de março de 2024, data na qual o servidor se encontrava presencialmente lavrando flagrante na Delegacia de Polícia de Porto Alegre do Norte", diz trecho do posicionamento.

Denis Brito foi alvo de uma operação da própria corporação e afastado das funções policiais na quarta-feira. Ele está em estágio probatório.

Leia também: Delegado afastado de cargo nega crimes e alega sofrer perseguição

Conforme a própria Polícia Civil, o delegado teria posse de um veículo Toyota Corolla que estava apreendido na Delegacia de Porto Alegre do Norte para se deslocar até o Estado de Goiás, usando placas de outro veículo, cometendo crime de adulteração de sinal de veículo automotor.

Além disso, carregava consigo um fuzil que não é de sua propriedade, incorrendo em crime de posse ilegal de arma de fogo de uso restrito.

Leia mais: Alvo de operação, delegado afastado do cargo é pré-candidato a vereador

"O Dr. Denis Cardoso segue à disposição, ainda que para esclarecimentos que poderiam ter sido solicitados antes mesmo de qualquer medida judicial, o que reforçará seu interesse em confirmar sua conduta dentro da legalidade e permitirá que não tenha sua imagem ainda mais manchada", finaliza a nota.

Comente esta notícia