Cuiabá, 06 de Outubro de 2022
logo

21 de Novembro de 2013, 17h:00 - A | A

POLÍCIA / ‘SEGURANÇA MÍNIMA’

Bandido aproveita benefício ‘extra’ e foge do Presídio da Mata Grande pela quarta vez

Detento estava realizando um serviço próximo ao presídio, quando despistou os agentes penitenciários e fugiu

JOÃO RIBEIRO
DA REDAÇÃO



O detento Wellington Bezerra da Silva fugiu novamente do Presídio Major Eldo de Sá Corrêa (Mata Grande), em Rondonópolis (220 km de Cuiabá). A fuga ocorreu nesta quarta-feira (20), quando o presidiário trabalhava fora da cadeia, já que era beneficiado pelo programa ‘extra-muro’, no qual o preso trabalha durante o dia e passa a noite na prisão.

Segundo informações da Polícia Civil, Wellington já fugiu outras vezes do presídio. O que a PC não explica é como um preso com histórico de fugas ainda consegue o benefício.  Ele estava realizando um serviço próximo ao presídio, quando despistou dos agentes penitenciários e fugiu.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Para um investigador da PC, a fuga é estranha, já que o detento ficaria preso somente nos próximos seis meses. “Quando for capturado, ele deve perder o benefício (extra-muro) e ficar em regime fechado totalmente”, explicou.

O bandido estava cumprindo pena por roubo. Porém ainda será julgado por outros crimes. Até o fechamento desta matéria o detento ainda não havia sido preso.

VIROU ROTINA

Somente neste ano mais 20 detentos já fugiram da Mata Grande, que é considerada de ‘segurança máxima’. Na semana passada, seis presos fugiram do presídio usando uma torre de segurança desativada por falta de efetivo da Polícia Militar.

Os criminosos André de Souza, Elis Pereira das Neves, Jeferson César Amaral, Rogério Fernando Gonçalves de Carvalho, Reginaldo Bezerra da Silva e Vantuir Gomes Ferreira foram condenados pelos crimes de roubo, homicídio e latrocínio (roubo seguido de morte).

Conforme informações da PM, os bandidos serraram a grades da cela e usaram uma corda ‘Maria Tereza’, feita com pedaços de pano, para escalar o muro. Também em outra ocasião, outros sete detentos usaram do mesmo artifício para fugir.

Comente esta notícia