facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Junho de 2024
19 de Junho de 2024

10 de Junho de 2024, 18h:42 - A | A

PODERES / CONTROLE DE GASTOS

Mauro Mendes descarta aumento de imposto por queda na arrecadação do ICMS: "Zero possibilidade, sob hipótese alguma"

O governador explicou que o controle nos gastos visa garantir que os investimentos continuem avançando.

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTERMT



O governador Mauro Mendes (União Brasil) descartou, nesta segunda-feira (10), qualquer possibilidade de aumentar impostos em Mato Grosso em decorrência da queda na arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Segundo ele, as mudanças adotadas pelo Executivo estadual focarão apenas no controle de gastos.

"Na prática, isso significa que a gente tem que cuidar mais das finanças e apertar mais o controle de gasto. Porque não tem nenhum espaço, zero possibilidade de aumentar impostos em Mato Grosso. Nós não vamos fazer isso sob hipótese alguma", garantiu.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Não tem nenhum espaço, zero possibilidade de aumentar impostos em Mato Grosso. Nós não vamos fazer isso sob hipótese alguma

"Quando a gente dá esse sinal de alerta, é pra mostrar: 'Olha, cuidado, vamos com calma'. Nossa arrecadação do ICMS diminuiu, agora no segundo semestre a gente vai perceber isso mais", acrescentou.

O 'alerta amarelo' já havia sido feito pelo governador no mês passado e, na semana passada, o secretário de Estado de Fazenda (Sefaz), Rogério Gallo, confirmou a queda na arrecadação do imposto referente ao mês de maio na comparação realizada com o mesmo período do ano passado.

Mauro destacou que o 'apertar dos cintos' agora tem o objetivo de garantir que o Estado continue avançando nos investimentos em todos os municípios.

Leia mais - Mauro alerta que arrecadação de ICMS caiu e pede cautela com gastos públicos

"Nós temos que cuidar no dia a dia das nossas despesas, evitar que elas fujam do controle, controlar a contratação de pessoas, o gasto da máquina pública, porque é muito importante manter o ritmo que nós conseguimos criar nos últimos anos de investimento", explicou.

"Esses investimentos que têm garantido aí mais de 3 mil quilômetros de asfalto, obras importantes sendo feitas na Capital e em, praticamente, nos 142 municípios do estado de Mato Grosso. Esse controle de receita, controlando despesas no custeio que nós temos conseguido fazer sobrar dinheiro para fazer investimentos e Mato Grosso é hoje um dos estados brasileiros que mais investe nos últimos 3 ou 4 anos. Isso é fundamental", emendou.

Comente esta notícia