facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 22 de Julho de 2024
22 de Julho de 2024

21 de Outubro de 2017, 09h:55 - A | A

PODERES / SOBRE AFASTAMENTO

Kleber Lima vê ação política e diz que 'provas' usadas contra ele o inocentam

O jornalista Kleber Lima falou sobre o período que ficou afastado do cargo, por denúncia de assédio a servidores efetivos.

CAROL SANFORD
DA REPORTAGEM



O secretário de Comunicação do Estado, Kleber Lima, declarou aos jornalistas, durante a Caravana da Transformação, em Tangará da Serra (240 km ao Oeste de Cuiabá), que acredita que seu afastamento do cargo tenha ocorrido por ação política, e que as provas apresentadas contra ele servirão para inocentá-lo sobre as acusações de assédio sexual e moral a servidores efetivos.

"Meu advogado disse que a maior defesa que eu vou ter no processo judicial são as provas que juntaram contra mim. Ou seja, em mais de 10 horas de áudio não há absolutamente nada que me comprometa", disse o secretário.

“Minha história é minha maior defesa nesse momento e meu advogado disse que a maior defesa que eu vou ter no processo judicial são as provas que juntaram contra mim. Ou seja, em mais de 10 horas de áudio não há absolutamente nada que me comprometa e principalmente nada que me envergonhe”, afirmou.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Para o secretário, a liminar de primeiro grau que revogou seu afastamento do cargo representa parte da injustiça que começa a ser desfeita.

“Começando a ser desfeita porque a liminar só reparou meu afastamento. Porque a pena máxima que eu poderia sofrer era a perda da função. Então naquele caso eu já fui punido. Sem ser ouvido. A única pessoa que me ouviu até agora nesse caso foi o meu advogado. O Ministério Público não me ouviu, a juíza não me ouviu, o desembargador não me ouviu”, reclamou.

Kleber ainda comentou sobre secretários de Estados serem usados para atacar politicamente o governador Pedro Taques (PSDB) e afirmou que não tem qualquer intenção de deixar o staff do Governo.

“Eu não sou o tipo de homem que pula do barco. Eu nunca desertarei na vida. Se querem me tirar da guerra é melhor me matar. Melhor me abater. Eu só estou ferido. Mas ainda estou de pé, lutando e acredito muito no governador e no projeto político que ele está desenvolvendo para o Estado”, concluiu.

Leia mais:

Desembargadora diz que não havia provas para afastar secretário

TJ cassa decisão de juíza e determina retorno de Kleber Lima ao cargo

Juíza determina afastamento de secretário de Comunicação

 

 

 

Comente esta notícia

Paulo Olimpio 21/10/2017

Ação política! Fala Sério!!! tem veia humorística esse aí. imagina o quanto pesa politicamente.

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1