Cuiabá, 09 de Agosto de 2022
logo

20 de Dezembro de 2017, 10h:48 - A | A

PODERES / SEM CAIXA

Governo torce por liberação de quase R$ 600 milhões da União

Os recursos são oriundos da emenda parlamentar destinada para a saúde pública e do Fundo de Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX).

CAROL SANFORD
DA REDAÇÃO



O secretário da Casa Civil, Max Russi (PSB), contou que o Governo do Estado deve receber nos próximos dias cerca de R$ 600 milhões da União. Os recursos são oriundos da emenda parlamentar destinada para a saúde pública e do Fundo de Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX).

“O governador Pedro Taques esteve em Brasília e voltou com o compromisso do Governo Federal de liberar os recursos da emenda da Saúde ainda em 2017 e esta semana deve vir o dinheiro do FEX”, disse Russi.

“O governador Pedro Taques [PSDB] esteve em Brasília nesta terça-feira [19] e voltou com o compromisso do Governo Federal de liberar os recursos da emenda da Saúde ainda em 2017 e esta semana deve vir o dinheiro do FEX”, disse Russi.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

>>> Receba notícias no Telegram e fique bem informado

O FEX deve render R$ 496 milhões ao Estado, sendo 25% do valor destinado aos municípios. Taques já declarou que os recursos serão utilizados para o pagamento dos salários de novembro e 13º dos servidores do Executivo e de outros poderes, pagamento de fornecedores e na saúde pública.

Parte do FEX também será destinada ao pagamento de emendas parlamentares. O Governo firmou acordo de repassar R$ 50 milhões às indicações dos deputados estaduais.

Já com a emenda destinada pela bancada federal para a Saúde, no valor de R$ 100 milhões, o Executivo busca regularizar definitivamente os repasses atrasados com hospitais regionais e unidades de saúde. Segundo Taques, a dívida alcança o valor de R$ 160 milhões.

Para o governador, a chegada de novos recursos possibilitará que o Estado comece o ano de 2018 em melhores condições financeiras.

“É um alívio de caixa, que possibilitará que entremos no próximo ano em melhores condições. 2018 será muito melhor que 2017”, comentou.

Comente esta notícia