facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

10 de Outubro de 2017, 19h:39 - A | A

PODERES / ESCÂNDALO DOS GRAMPOS

Coronel e personal confessam responsabilidades no esquema, veja vídeos

O reinterrogatório foi proposto pelo casal, já que na primeira audiência, na semana passada, o coronel Evandro Lesco e a mulher, Helen Lesco, ficaram em silêncio. Eles estão presos desde o dia 27 de setembro.

CAROL SANFORD
DA REDAÇÃO



O coronel da Polícia Militar e ex-secretário da Casa Militar, Evandro Lesco, e sua esposa, personal treiner Helen Lesco, prestaram depoimento à delegada Ana Cristina Feldner, responsável pela investigação das escutas telefônicas clandestinas, nesta terça-feira (10). Durante as oitivas, que duraram cerca de quatro horas, o casal assumiu as responsabilidades no esquema.

O advogado do casal, Stalyn Paniago, não quis dar detalhes dos depoimentos, uma vez que o processo está sob segredo de Justiça.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

“Eles assumiram a responsabilidade daquilo que têm conhecimento e envolvimento”, limitou-se a dizer Paniago.

O reinterrogatório foi proposto pelo casal, já que na primeira audiência, na semana passada, Lesco e a mulher ficaram em silêncio. Eles estão presos desde o dia 27 de setembro, por determinação do desembargador Orlando Perri, sob acusação de obstrução à Justiça e interferência nas investigações.

“Eles assumiram a responsabilidade daquilo que têm conhecimento e envolvimento”, limitou-se a dizer Paniago.

O coronel deixou o Complexo Miranda Reis, onde os depoimentos foram prestados, sem falar com a imprensa, por volta das 18 horas. Ele havia chegado ao local antes das 13 horas, porém as oitivas tiveram início às 14h30.

Já a personal trainer Helen Lesco chegou às 13h50 e deixou o complexo às 18h15, coberta com um lençol branco e de uniforme trocado, também branco. A mulher do ex-secretário havia chegado sem algemas e de uniforme laranja.

Lesco e a mulher são acusados de coagir o escrivão do Inquérito Policial Militar (IPM), tenente-coronel José Henrique Soares, que investiga os “grampos” no âmbito da PM, para que gravasse Perri, com o intuito de afastá-lo da condução do caso, e para que repassasse informações privilegiadas sobre o andamento da investigação.

Perícia

Durante o período em que o coronel e a mulher prestavam depoimentos, o delegado Flávio Stringueta, que também investiga o esquema dos “grampos”, chegou ao Complexo Miranda Reis com computadores apreendidos na Operação Esdras, deflagrada no dia 27 de setembro.

Ele revelou que os equipamentos passaram por análise na Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), porém não quis dizer a quem pertenciam. Parte das apreensões feitas durante a operação também passam por perícia na Polícia Federal.

Veja os vídeos

Comente esta notícia

Teka Almeida 11/10/2017

Eles não assumiram nada e muito menos confessaram, nenhum fato novo que possa ser acrescentado. Apenas confirmaram os fatos das investigações que os delegados a frente do caso já tinham investigado. Armaram uma manobra... só isso

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1