facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 23 de Junho de 2024
23 de Junho de 2024

10 de Novembro de 2022, 15h:33 - A | A

PODERES / SEM INTERVENÇÃO

Abílio aponta que Exército não vai atender manifestantes e que traição a Bolsonaro já começou

Ele afirma que nenhuma intervenção federal deverá acontecer no país e que Lula será presidente

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTER MT



O deputado federal eleito Abílio Júnior (PL) admitiu, por meio de uma publicação feita em seu perfil no Instagram, nesta quinta-feira (10), que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai assumir a presidência do Brasil em 2023 e que as traições ao presidente Jair Bolsonaro (PL) já teriam começado no Congresso Nacional. Logo após a repercussão, o post foi removido.

"É triste informar que o Lula será presidente", diz trecho de postagem.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Abílio está em Brasília onde acompanha o funcionamento da Câmara dos Deputados, casa a qual fará parte a partir do ano que vem. Em suas andanças pela Capital Federal e conversa com políticos, ele afirmou que o Exército Brasileiro não tem nenhuma intenção de atender o pedido dos manifestantes, que estão acampados em diversos estados, contra a vitória de Lula, pedindo intervenção federal.

"Em Brasília os manifestantes em frente ao Exército não trazem nenhuma preocupação à Câmara, ao Senado ou ao STF. Na verdade, estão convictos que o povo em breve vai entender que nada mudará, irão cansar, gastar os recursos que levaram e aos poucos vão sair. Não atenderão nenhum tipo de S.O.S", escreveu em publicação.

Ainda na publicação, Abílio explicou que os congressistas aproveitam - enquanto os atos acontecem - para formação de alianças com o governo eleito para os próximos quatro anos.

"Enquanto as manifestações ocorrem, o Congresso aproveita a cortina de fumaça para discutir as emendas, cargos e alianças com o novo governo. Meu sentimento é que já esqueceram Bolsonaro e a traição já começou forte", desabafou

"Também não acredito que seremos maioria na oposição, todavia o PL já declarou que será oposição e o Bolsonaro será o líder", acrescentou.

Por fim, ele lamentou, pediu orações pelo Brasil e pelos dias difíceis a serem enfrentados por Bolsonaro, mas enfatizou que continuará lutando pelo país e por Mato Grosso.

"Teremos dias difíceis pela frente. Oremos pelo Brasil e pela vida do presidente Bolsonaro que não terá dias fáceis. E vamos continuar na luta por um Brasil e Mato Grosso melhor".

Motivo da remoção do post

Nos stories do Instagram, na tarde desta quinta, Abílio explicou o motivo de ter removido a postagem de seu perfil na rede social.

Segundo ele, pessoas estavam lhe enviando mensagens e afirmando que a publicação estaria desmotivando os manifestantes na frente dos quartéis.

“Não quero desanimar ninguém, mas o Exército não fará nada. Lamento. Lamento ter publicado, torço para estar errado”, escreveu.

Álbum de fotos

Reprodução

Reprodução

Comente esta notícia