Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

09 de Dezembro de 2014, 13h:33 - A | A

PAPO RETO / DÍZIMO PROIBIDO

Justiça suspende cobrança feita pelo PR aos cargos comissionados do estado

DA REDAÇÃO



A Procuradoria Regional Eleitoral obteve uma decisão no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso para suspender o desconto do “dízimo partidário” cobrado pelo Partido da República (PR) de todos os servidores ocupantes de cargos comissionados no Governo do Estado.

A decisão da Justiça Eleitoral atende à ação proposta pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) no dia 03 de outubro de 2014. Na ação, o procurador Douglas Guilherme Fernandes defende que a atuação da PRE/MT tem o objetivo de combater o abuso de poder econômico e o financiamento de campanha com recursos de origem vedada, de modo a conferir efetividade ao postulado de igualdade de oportunidade aos candidatos, bem como garantir a lisura do processo eleitoral.

O desconto do dízimo dos cargos comissionados foi identificado com o julgamento do TRE que reprovou as contas do Partido da República (PR) nos anos 2007 e 2008. A análise das contas do partido mostrou que o PR instituiu no âmbito do Poder Executivo a cobrança do dízimo partidário.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Comente esta notícia

salvadorjr 09/12/2014

Sugiro a todos que entrem com pedido de devolucao ja que foi considerado ilegal. Para ser mais exato cabe uma acao coletiva de modo que possa se evitar possiveis retaliacoes caso o PR volte a comandar o estado de novo( o que duvido muito ).

Daniela 09/12/2014

Deveria devolver para todos os comissionados os valores descontados!

Fernanda Lemos 09/12/2014

E a pergunta que deveria ter sido respondida: vão devolver o dízimo? Pois de que adianta impedir a cobrança em dezembro, no final do mandato de Silval Barbosa, se não devolverem a quantia que os servidores comissionados foram obrigados a repassar.

3 comentários

1 de 1