Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

11 de Dezembro de 2014, 21h:34 - A | A

JUDICIÁRIO / GASTOS DE CAMPANHA

TRE reprova prestação de contas de Savi e Bezerra, mas descarta caixa 2

Os dois deputados reeleitos entre os mais votados têm três dias para prestar esclarecimentos

KEKA WERNECK
DA REDAÇÃO



O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) reprovou as contas de campanha de dois nomes fortes da política de Mato Grosso. Ambos se destacaram entre os mais votados nas Eleições 2014. O deputado federal reeleito Carlos Bezerra (PMDB) e o deputado estadual, também reeleito, Mauro Savi (PR) terão que prestar esclarecimentos ao TRE, em um prazo de três dias, sobre despesas mal explicadas, se quiserem evitar ser alvos de ações de investigação judicial eleitoral que podem ser propostas pelo Ministério Público Eleitoral. As duas decisões do TRE acompanham parecer do MP, que apontou irregularidades nas prestações de contas. No caso de Bezerra, por possível “Caixa 2”. E de Savi, porque, entre outras questões, a receita estimada em dinheiro oriunda de doações não foi comprovada com documento fiscal emitido por pessoa jurídica doadora.

O procurador regional eleitoral Douglas Guilherme Fernandes apontou como irregularidade grave na prestação de contas do deputado Bezerra “identificação de despesas com diversas empresas no montante total de R$ 61.911,55, apontada no parecer final do órgão técnico e que ainda pende de esclarecimento”. O procurador destaca que isso denotaria caixa dois.

Ainda conforme o procurador, o candidato teria recebido R$ 100 mil de doação da Construtora Sanches Tripolini Ltda. e que, deste valor, foram transferidos a outros candidatos o montante de R$ 281 mil. Uma dinâmica “logicamente impossível”, na visão do procurador, que, em seu parecer, seguiu indicando doações que não foram registradas na prestação de contas, sendo uma delas no valor de R$ 423 mil.

O deputado Mauro Savi, além da dificuldade em comprovar com documentos exigidos, o dinheiro doado à campanha, também não apresentou faturas de energia e água em acordo com imóveis usados em campanha.

 “Em terceiro lugar, evidencia que, embora o candidato tenha sido beneficiado com a doação de uma aeronave, pelo prazo de 30 dias, para 40 horas de voo, não declarou nenhuma despsa a titulo de hospedagem, o que também está a merecer esclarecimentos”, pontuou o procurador.

Savi também não declarou despesas com internet, embora mantenha página no face, no twiter e página on line pessoal, às quais foram utilizadas para veicular propaganda eleitoral.

O procurador eleitoral também destaca que, embora Savi tenha anunciado, nas redes sociais, mais de 10 atividades eleitorais de grande vulto não prestou contas dos gastos com elas e cita alguns casos, entre eles um comício, no bairro Jardim Glória, em Várzea grande, reunindo 700 potenciais eleitores.

Na sessão de hoje, o TRE apreciou a prestação de contas de outros três candidatos que tiveram o aval do Tribunal, mas com ressalvas. Os deputados federais eleitos Nilson Leitão e Victório Galli Filho. E o Deputado Estadual Oscar Martins Bezerra.

Todos tomam posse no dia 19 deste mês. Mas, se forem alvo de uma ação do MP e, ao final dela os delitos ficarem comprovados, correm o risco de perder o mandato.

Savi informou, através da Assessoria de Imprensa, que vai encaminhar as explicações ao TRE no prazo de três dias e que vai recorrer da decisão que, diz a assessoria, não deve interferir na diplomação. O RepórterMT tentou mas não não conseguiu falar com o deputado Bezerra.

Comente esta notícia

POVO 12/12/2014

BANDO DE)_()*()&*(¨*#$%&*(¨&*%$%&*%$#%$$%¨%%$#@@%$¨&*¨%$&*()*)&¨%#$&*(())*&%¨$¨&&()*()&¨*$&##¨&&

JR 12/12/2014

Bando de safos

julio santos 12/12/2014

EU NÃO SEI PORQUE, MAS PRA MIM ISSO NEM É NOVIDADE... RSRS A TRANSGRESSÃO DAS REGRAS NA POLÍTICA É ALGO CONTUMAZ.. E O POVO QUE SE EXPLODAMM AFINAL VOTAM NESSES CARAS...

ARNALDO 11/12/2014

É sempre assim.. reprovam e nada acontece.. vao arrumar umas notas frias e td fica de bouuuaaaa.. e bem mato grosso

4 comentários

1 de 1