Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

01 de Dezembro de 2016, 19h:00 - A | A

JUDICIÁRIO / FRAUDES NA SEDUC

Nilson Leitão era membro do "núcleo político" do esquema de propina, diz delator

No núcleo, estavam ainda o presidente da Assembleia Legislativa, deputadol Guilherme Maluf, o ex-secretário de Educação, Permínio Pinto

CELLY SILVA
DA REDAÇÃO



O empresário Giovani Guizardi afirmou, em termo de delação premiada ao Ministério Público Estadual, que o esquema de fraudes em licitações na Secretaria de Estado de Educação (Seduc) tinha um núcleo considerado especial, formado por agentes politicos.

Entre os integrantes desse núcleo, segundo o delador, estavam o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), o ex-secretário de Educação, Permínio Pinto, e o deputado federal Nílson Leitão (PSDB).

No termo de delação, conforme antecipou, Guizardi afirmou que Maluf era destinatário de 25% da propina arrecadada e que o deputado "comandava" a Secretaria de Educação.

Segundo o delator, Leitão foi o responsável pela indicação de Permínio Pinto para comandar a pasta e de Fábio Frigeri, para atuar como servidor comissionado no setor de medições de obras da Seduc.

Além disso, as indicações dos demais réus na ação penal que corre na 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Wander Luís dos Reis e Moisés Dias da Silva, partiram do deputado Guilherme Maluf, conforme o empresário declarou ao MPE.

Guizardi também revelou que, em duas oportunidades, entre junho e outubro de 2015, solicitou que seu funcionário Edézio Ferreira fosse ao Banco Itaú, no Centro de Cuiabá, e realizasse diversos depósitos de pequenos valores que somavam R$ 20 mil.

A determinação de fazer pagamentos pulverizados teria partido de Permínio Pinto em favor de Nilson Leitão, através de um bloco autoadesivo amarelo contendo a anotação do número da conta corrente e do CNPJ do parlamentar, sem mencionar a razão social da empresa.

Giovani Guizardi foi preso em 3 de maio, na deflagração da Operação Rêmora, pelo Grupo de Atuação Especial Contrao Crime Organizado (Gaeco), mas foi solto na noite de quarta-feira (30), após firmar acordo de delação premiada com o MPE.

Ele é dono das empresas Dínamo Construtora e Guizardi Júnior Engenharia.

A primeira era utiizada para participar das licitações de obras de construção e reforma de escolas estaduais.

A segunda servia, de forma indireta, para contratar o aluguel de uma sala comercial no Edifício Avant Garden Business, no bairro Santa Rosa, denominada de "quartel general" pelo Ministério Público Estadual (MPE), por ser onde ocorriam as reuniões sobre o esquema.   

Esquema era comandado na Guizardi Construtora, confirma testemunha  

Questionado pelos promotores do Naco (Núcleo de Ações de Competência Originária), do Ministério Público, sobre como se dava a operacionalização da propina, Giovani Guizardi explicou que os recebimentos ocorriam sempre em dinheiro.

Ele assumiu que era o responsável por receber os valores dos empreiteiros que participavam do cartel nas licitações de obras de escolas da Seduc. 

img710.jpg
 
img709.jpg

Comente esta notícia

Galileu 01/12/2016

Esse Leitão tem pedigri.Quem não se lembra do desvio da obra de saneamento da prefitura de Sinop envolvendo a empresa Gautama e o corruptor Zuleido Veras.Isso não deu em nada tal qual esse caso agora também não dar. Ele não tem medo de nada.

Rafael 01/12/2016

Ainda vai aparecer muitaas coisas principalmente desse deputado federal que se diz evangelico. É o pior de todos, corrupto e demagogo.

Marcos 01/12/2016

Tá chegando o natal e pelo jeito não vai ter leitão.

A Candido 01/12/2016

Com a palavra os paladinos da moralidade PSDB. Estamos entregues nas mãos de toda sorte de canalhas, larápios e surrupiadores de verba pública. Bandidos malditos!

Indignado 01/12/2016

Começou a aparecer os figurões por trás dos esquema,agora eu quero ver se a nossa Sérgio moro de saias vai por atrás das grades quem realmente comandava esse esquema que desviou milhões?

5 comentários

1 de 1