Cuiabá, 16 de Agosto de 2022
logo

03 de Agosto de 2022, 14h:44 - A | A

GERAL / 20 FACADAS

Juiz decreta prisão preventiva de filho que matou a mãe em VG

Fabiana foi morta na madrugada de segunda-feira (01) com 20 facadas

THAÍS BEMFICA
DO REPÓRTER MT



Após audiência de custódia, realizada na noite de terça-feira (02), o Juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues da Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar Contra Mulher de Várzea Grande decidiu alterar a prisão em flagrante de Vitor Hugo Da Silva, 18 anos, para prisão preventiva.

Vitor Hugo foi preso em flagrante após matar a mãe, a enfermeira Fabiana Maria Amaro da Silva, 39 anos, com vinte facadas na madrugada de segunda-feira (01), em Várzea Grande, após discutirem. O criminoso era usuário de entorpecentes.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Em interrogatório, ele alegou que estava tomando cerveja em frente à sua casa com vizinhos, e logo após todos irem dormir, ele foi dar uma volta e, ao voltar, viu uma pessoa arrombar a porta e matar sua mãe. Narrativa essa, desmentida pelas investigações.

Após discutir com a mãe e matá-la, o rapaz tentou criar álibis ao sair pedindo pela ajuda dos vizinhos alegando que a mãe havia ‘se acidentado’. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel) foi acionado, mas Fabiana já estava morta.

A polícia encontrou arma do crime no local e o rapaz foi preso em flagrante, sob visível embriaguez e efeito de drogas. Todavia, a prisão em flagrante só mantém o indivíduo preso por 24h horas.

Em trechos da decisão, salienta-se a necessidade da prisão preventiva, que pode ser mantida durante a investigação e na ação, devido a gravidade da conduta de Vitor Hugo e a necessidade de mantê-lo preso “a fim de dar a segurança necessária para que as testemunhas prestem suas declarações em juízo sem temê-lo”.

Comente esta notícia