Cuiabá, 30 de Janeiro de 2023
logo

03 de Novembro de 2014, 15h:45 - A | A

POLÍTICA / 'LEGADO' DA COPA

Taques declara fim da Secopa e diz que pode ter que refazer obras

Sobre sua vistoria às obras, Taques disse que foi acompanhado apenas do prefeito de Cuiabá e de um técnico verificar a situação de algumas intervenções que ao invés de facilitar o fluxo de veículos estaria causando confusão e congestionamento.

MARCIA MATOS
DA REDAÇÃO



O governador eleito Pedro Taques (PDT), que deixou claro em entrevista aos jornalistas nesta segunda-feira (03), após uma visita de cortesia ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, Juvenal Pereira, que a extinção da Secretaria da Copa (Secopa) é um fato já decido por ele.

Taques revelou que esteve vistoriando as obras da Copa neste domingo (02), e se disse muito preocupado sobre o empréstimo de R$ 200 milhões feito pelo atual governador Silval Barbosa (PMDB) para a conclusão do VLT.

"Uma parte da equipe está analisando efetivamente a Secopa e as obras da Copa. Nós ainda não definimos em qual pasta serão localizadas as obras da Copa, porque como todos sabemos, a Secopa, ela se extingue no dia 31 de dezembro", afirmou.  

Sobre sua vistoria às obras, Taques disse que foi acompanhado apenas do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB),  e de um técnico verificar a situação de algumas intervenções que ao invés de facilitar o fluxo de veículos estaria causando confusão e congestionamento.

“Eu quero saber qual é o problema efetivo do viaduto da Sefaz, quero saber do viaduto da UFMT, que ele foi edificado com objetivo de resolver o problema de congestionamento naquela região e agora o congestionamento piorou em razão do fechamento da saída da UFMT. Agora tiveram que abrir outra saída da UFMT para a Rua 1 do Boa Esperança, e com isso prejudica situação. Eu quero saber e estou buscando soluções para resolver isso”, declarou.

Sobre o empréstimo milionário para a continuidade do VLT, que foi solicitado pelo atual governo à Assembleia Legislativa, Taques frisou que espera receber de Silval as explicações necessárias sobre o assunto. 

“Recebi [a notícia] como todos os mato-grossenses que estão acompanhando  essas obras. Eu quero e é um dever  meu, e eu tenho certeza que o governador vai nos mandar os números para que nós possamos saber qual a  natureza desses recursos, se é uma contrapartida do estado, se esses recursos de R$ 200 milhões estariam dentro dos R$ 1bilhão e R$ 477 milhões [ da obra do VLT]. Solicitamos essas informações à equipe”, frisou.

O governo alega que o empréstimo será contraído para compensar a  desoneração tributária, que estaria abaixo do valor inicialmente previsto. 

Além dos dados sobre o empréstimo milionário o governador eleito ressaltou que até o final desta semana terá informações também sobre a concessão da Arena Pantanal.

Veja vídeo:

Comente esta notícia