Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

12 de Novembro de 2014, 17h:21 - A | A

POLÍTICA / CORTE DE GASTOS

Taques começa a elaborar a reforma administrativa do governo

A proposta deve ser encaminhada ainda este mês para a análise e votação da Assembleia Legislativa, que ainda analisa os projetos da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2015.

MARCIA MATOS
DA REDAÇÃO



Em posse dos dados repassados por sua equipe de transição, a respeito da real situação das maiores Secretarias de Estado, o governador eleito Pedro Taques (PDT) começa a elaborar esta semana o projeto de reforma administrativa.

A proposta deve ser encaminhada ainda este mês para a análise e votação da Assembleia Legislativa, que ainda analisa os projetos da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2015.

Nos bastidores, o comentário é de Taques não teria ficado nenhum pouco satisfeito com as informações recebidas sobre a realidade financeira das pastas. Como o governador eleito já vem recebendo “pressão” dos demais poderes para que ele não reduza os orçamentos, o corte nos gastos deve ser feito, a princípio, na estrutura do governo do Estado.

Uma das propostas apresentada pelo próprio coordenador da equipe de transição, o prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), é a reducação do número de Secretarias Estaduais de 23 para 12 pastas.

RepórterMT

Otaviano Pivetta

Coordenador da equipe de transição, Pivetta tem como sugestão o número de secretárias do Paiaguás. De 23 para 12 pastas

Quanto ao possível corte de comissionados do Estado, não há comentários da equipe de transição, porém conforme declarações recentes do secretário-chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf (PR), a tarefa não seria tão simples, já que em toda sua estrutura o governo teria cerca de seis mil servidores comissionados, mas destes aproximadamente dois mil seriam concursados em outros cargos e “cedidos” para a função comissionada, portanto com o número de quatro mil servidores exclusivamente de confiança, o quadro já seria considerado resumido.

RepórterMT

Pedro Taques

Taques toma posse como governador de Mato Grosso no dia 1º de janeiro de 2015. Eleito no primeiro turno, Taques diz que uma das metas do seu governo é a redução dos gastos


De acordo com a assessoria de imprensa, as informações repassadas a Taques seriam referentes às Secretarias com os maiores orçamentos como Educação, Saúde, Segurança. Além destas, o governador eleito também já teria conhecimento sobre os dados das Secretarias de Cidades, Meio Ambiente e Fazenda. 

A equipe de transição do próximo governo continua a analisar a real situação das menores pastas e devem repassar as informações, em breve, para o próximo chefe do Executivo Estadual.

Comente esta notícia

Abgail 12/11/2014

Cedidos tem mesmo. Um monte de professores de educação básica, para fazer serviços do Taig...e não é cargo de comissão não.

1 comentários

1 de 1