Cuiabá, 02 de Julho de 2022
logo

Segunda-feira, 07 de Novembro de 2011, 11h:25 - A | A

ESCÂNDALO DOS MAQUINÁRIOS

Suposto envolvimento de Maggi pode levar caso ao STF

Arquivamento do pedido que livraria o senador das denúncias de corrupção ainda não foi decidido

INARA FONSECA

A reunião do Conselho Superior do Ministério Público Estadual (MPE), na manhã desta segunda-feira (07), pode acrescentar mais uma página no Escândalo dos Maquinários: a entrada do Supremo Tribunal Federal (STF) no caso.  Durante o encontro dos Conselheiros, que tinha como objetivo decidir sobre o arquivamento das investigações envolvendo o senador Blairo Maggi (PR) no esquema de corrupção, o procurador Siger Tutiya, relator do processo, afirmou que caberia apenas ao STF a decisão.

De acordo com a assessoria do MPE, Siger Tutiya alegou nas preliminares incompetência do Conselho para deliberar sobre o pedido de arquivamento devido ao cargo que Blairo Maggi ocupa atualmente no Senado. Após a afirmativa, o procurador Paulo Prado requereu pedido de vistas. O Conselho voltará a se reunir nas próximas semanas para debater o assunto.

O pedido que livrou Maggi de ser atingido pelas denúncias de corrupção foi feito pelo procurador da Justiça Hélio Fredolino Faust. No documento, o procurador afirma que não encontrou indícios de ligação de Maggi ao esquema de superfaturamento.

Hélio Fredolino Faust foi indicado pelo procurador-geral de Justiça Marcelo Ferra para apurar o caso após cinco promotores do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa encaminharem ofício ao procurador-geral solicitando a investigação do envolvimento de Maggi, governador de Mato Grosso na época. Após parecer de Hélio Faust, cabe ao Conselho Superior do Ministério Público deliberar sobre o arquivamento.

O Escândalo dos Maquinários veio a tona após relatórios com indícios de lavagem dinheiro realizados pela própria Auditoria Geral do Estado (AGE) . O documento apontava um superfaturamento no valor de R$ 44 milhões na compra de 705 máquinas e caminhões do Programa “Mato Grosso 100% Equipado”.

Atualmente os ex-secretários de Estado de Infraestrutura, Vilceu Marchetti, e de Administração, Geraldo De Vitto Júnior, juntamente com as empresas Dymac Maquinas Rodoviárias Ltda., Cotril Máquinas e Equipamentos Ltda., Tork Sul Comércio de Peças e Máquinas Ltda. e Tecnoeste Máquinas e Equipamentos Ltda figuram como réus.

Leia também: Conselho do MPE se reune para discutir Escândalo dos Maquinários

Comente esta notícia

Carlos Henrique Mendonça 07/11/2011

Pq ele é senador!! O MPE é incopetente para investigar...Achei q iria ter justiça no caso, mas não, apenas aumentará os comedores da pizza...BRASIL!!!

1 comentários

1 de 1