facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 27 de Maio de 2024
27 de Maio de 2024

16 de Novembro de 2010, 18h:47 - A | A

POLÍTICA /

STF nega liminar de Habeas Corpus e bicheiro Arcanjo permanece em MS



João Arcanjo Ribeiro, além de comandar o jogo do bicho, é apontado como mandante em vários assassinatos em Mato Grosso, entre eles, o do empresário Sávio Brandão, dono da Folha do Estado.

 

MIRO FERRAZ
DA REDAÇÃO

O ex-bicheiro e ex-policial João Arcanjo Ribeiro, teve pedido de Habeas Corpus negado na tarde desta terça-feira (16), pelo ministro Carlos Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal (STF). Os advogados do ex-comandante do crime organizado em Mato Grosso, contestaram no pedido a renovação da prisão de Arcanjo, na Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Campo Grande (MS). 

Para o ministro, o que chamou de “exame provisório” do pedido, não o permitiria desqualificar os fundamentos adotados pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ), que negou  outra solicitação idêntica para Arcanjo.

O STJ não acatou a alegação de que Arcanjo é vítima de constrangimento ilegal e que a renovação da prisão em Campo Grande teria sido feita sem respeitar o contraditório e da ampla defesa. A periculosidade de Arcanjo e os cirmes que cometeu, permitem à Justiça mante-lo em tal situação. 

De acordo com o juiz que renovou a prisão de Arcanjo, com base no relatório do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Arcanjo permanece no controle das atividades do jogo do bicho em Cuiabá, mesmo preso. 

João Arcanjo Ribeiro, além de comandar o jogo do bicho, é apontado como mandante em vários assassinatos em Mato Grosso, entre eles, o do empresário Sávio Brandão, morto em 2001 quando saía da obra da sede do Jornal Folha do Estado, de sua propriedade.

 

Comente esta notícia