Cuiabá, 26 de Setembro de 2022
logo

29 de Novembro de 2013, 11h:20 - A | A

POLÍTICA / DETRAN À DERIVA

Sem presidente, Nadaf assume e ex-diretor pode ser chamado

Secretário-chefe da Casa Civil passa a acumular interinamente a presidência do Detran-MT

DA REDAÇÃO



O secretário-chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf passa responder interinamente pela presidência do Detran-MT. A exoneração de Giancarlo Castrilollon, que comandava a autarquia há 10 meses, foi publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (29). O dois últimos presidentes do Detran, Teodoro Moreira Lopes (o Dóia) e Castrillon foram indicados pelo deputado Mauro Savi (PR), primeiro secretário da Assembleia Legislativa de MT.

Diferente do antecessor, que ficou seis anos no cargo, Castrillon não conseguiu nem "esquentar" a cadeira. Um dos nomes ventilados nos bastidores seria o do ex-diretor de Gestão Sistêmica da autarquia, Carlos Santana, mas ainda não há confirmação oficial. A nova indicação, segundo fontes do da Assembleia só deve sair na semana que vem.

Castrillon foi exonerado do cargo, após sua situação ficar insustentável da Operação Ararath, da Polícia Federal. Agentes da PF fizeram busca e apreensão de documentos na casa de Castrillon e no gabinete dele, no Detran. Uma grande soma em dinheiro estaria na casa do es-presidente, que é investigado por supostamente fazer parte de um esquema de lavagem de dinheiro, via empresas de fachada.

O esquema foi tornado público pela PF no útimo dia 12. Além da Operação Ararath, outro escândalo veio à toma esta semana. Uma quadrilha que fraudava CNHs em MT, GO e TO foi desbaratada pela Operação Fraus, da Polícia Civil. Quatro servidores do Detran foram presos por participar do esquema.

O início da queda de Castrillon se deu quando servidores, via sindicato, deflagraram greve geral por conta das péssimas condições de trabalho.  A greve durou 20 dias. Segundo o sindicato dos servidores faltaria até água para beber, além de mateirais básicos de trabalho, como papel para impressão de taxas.  O sindicato dos trabalhadores da autarquia apontava diversas irregularidades e solicitavam uma posição do governador. Desde então o SINETRAN tem pressionado pela saída do titular. 

O Detran é um dos órgãos que mais arrecada no Estado, cerca de R$ 280 milhões por ano, mas passa por inexplicáveis dificuldades financeiras. Segundo o ex-gestor, só uma pequena parte da arrecadação fica na autarquia, o resto cai direto na Conta Única do Estado. O governador Silval Barbosa (PMDB) chegou a ironizar a situação em meio à greve, afirmando que já havia repassado R$ 36 milhões ao órgão até outubro e que o montante seria suficiente para, "comprar café e papel".

A exoneração de Giancarlo da Silva Lara Castrillon, foi publicada na edição do Diário Oficial que circula nesta sexta-feira (29). Para despedir dos funcionários do DETRAN, Castrillon encaminhou para toda a imprensa uma carta de agradecimento. Em alguns trechos, o ex-presidente cita a grande arrecadação do órgão e a impossibilidade de administrar o recurso,  já que o dinheiro é encaminhado para a Conta Única do Estado.

Comente esta notícia

adilson 30/11/2013

Será que o governo delegou total poder a este diretor do DETRAN, e que por iniciativa própria articulou este convenio milionário junto à empresa de placa automotiva Alemã UTSCH, DETRAN e a recém-criada instituição APAC????? Será que só com o pretexto de beneficiar 14 presidiários com um salario mínimo convenceu o governo a aceitar este desastroso convenio????? Será que também convenceram a sociedade e aos proprietários de veículos a pagarem mediante deposito bancário (sem valor fiscal )em nome de uma associação de empresas privada o valor de 170,00 reais em um par de placas para seu automóvel quando na realidade estas mesmas placas em são Paulo custa 70,00 reais o par e em outros estados pode comprar a mesma placa com a película de melhor qualidade por até 50,00 reais o par???? Será que os Estados que rejeitou estes mirabolantes convenio articulado por esta empresa estão errados????? Será que Mato Grosso ágil de forma correta ao privilegiar uma única empresa de origem alemã USTCH como fosse a única empresa no brasil com capacidade de colocar nas placas confeccionadas um simples código de barra ?????? Será que o Governo não sabe desta mirabolante atitude deste diretor e dignamente irá restabelecer aos proprietários de veículos, os seu diretos na qualidade de consumidor que fora subtraído e permiti-los que o mesmos voltem a adquirir sua placas nas lojas que oferecer melhor preço e qualidade ????? Prefiro acreditar que sim !!!!!!!!!!!!!

1 comentários

1 de 1