Cuiabá, 03 de Fevereiro de 2023
logo

18 de Dezembro de 2014, 08h:00 - A | A

POLÍTICA / ELEIÇÃO DA AMM

Mendes diz que Pivetta seria independente de Taques e não descarta restringir repasse do Fethab

O prefeito defende a possibilidade de restringir o Fethab, contrariando a lei criada no governo atual, que usou a maior parte do fundo para investir nas obras preparatórias para a Copa do Mundo.

MARCIA MATOS
DA REDAÇÃO



Às vésperas da eleição da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), que define, nesta quinta-feira (18) o próximo presidente para o biênio 2015/2016, o prefeito de Cuiabá e presidente regional do PSB, Mauro Mendes, fez declarações de ‘cabo eleitoral’, em defesa do candidato de seu grupo político, o prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT).

Em entrevista aos jornalistas, Mendes argumentou que Pivetta, que atuou como ‘braço direito’ do governador eleito Pedro Taques (PDT) na coordenação da campanha eleitoral e agora à frente da equipe de transição, não se deixaria influenciar pela proximidade com o novo governador e atuaria de forma independente, atendendo os interesses dos municípios.

“Quem conhece o Otaviano Pivetta sabe o quanto ele é corajoso, irreverente e não é um homem que aceita tutela de ninguém, muito menos do governador”, declarou.

Aproveitando o ‘gancho’ da proximidade política entre Pivetta e Taques, Mendes ainda pontuou que isso pode ser usado em favor dos municípios, caso o prefeito de Lucas do Rio Verde assuma a presidência da AMM.

“Agora, nós temos que reconhecer também que a Associação ela tem que ter um bom prestígio, uma boa relação com independência, com o Executivo Estadual. Então o Pivetta ele tem os predicados ideais para ocupar esse cargo. Ele tem uma boa relação, ajudou a construir e é um dos protagonistas do projeto que assume o comando do Executivo Estadual e ele tem a irreverência, a coragem, a independência para se precisar criticar ou se posicionar em favor dos municípios, certamente ele fará”, defendeu.

Sobre a polêmica especulação de que Pivetta defenderia que o Fethab ficasse 100% nas mãos do governo e não ter os 50% repassados aos municípios, conforme  uma lei estadual prevê a partir de 2015, Mendes argumenta que pessoalmente é a favor de que sejam repassados o maior número de recursos possíveis aos municípios, mas defende a possibilidade de restringir o Fethab, contrariando a lei criada no governo atual, que usou a maior parte do fundo para investir nas obras preparatórias para a Copa do Mundo.

"Deixaram essa transferência para ser executada após a derrotada deles que já era tida aos quatro cantos como certa"

“Fazer discurso para que os outros cumpram é muito fácil. Por que os atuais detentores do poder não fizeram isso há muitos anos atrás? Por que eles preferiram, ou tinham o privilégio de ter uma outra realidade? Deixaram essa transferência para ser executada após a derrotada deles que já era tida aos quatro cantos como certa. Portanto acho que uma mudança nesse cenário, acho que ela pode acontecer, mas ela tem que  ser feita com responsabilidade”, argumentou.

Para a eleição do novo presidente da AMM foram registradas três chapas. Pivetta encabeça a chapa AMM: Leve e Servidora. ". À frente da chapa: AMM Eficiente está o prefeito de Nortelândia, Neurilan Fraga (PSD), representa a continuidade desta gestão, já que o presidente Chiquinho do Posto, prefeito de Juscimeira também é do mesmo partido. Apresentado como uma terceira via, o prefeito de Alto Paraguai, Adair Alves (PMDB) está liderando a chapa "Mato Grosso por inteiro". 

A votação dos candidatos será realizada na sede da AMM a partir das 9h, nesta quinta-feira (18).

Comente esta notícia