Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

17 de Novembro de 2016, 16h:15 - A | A

POLÍTICA / GESTÃO EMANUEL

Bezerra nega indicações de secretários e destina emendas de R$ 2 milhões

O "cacique do PMDB", deputado Carlos Bezerra diz que não tem interferido na escolha dos que serão nomeados secretários da gestão do prefeito eleito, Emanuel Pinheiro, mas afirma que já destinou emenda para futura obra.

FRANCISCO BORGES
DA REDAÇÃO



Principal articulador da campanha de Emanuel Pinheiro (PMDB) ao cargo de prefeito de Cuiabá, o cacique dos peemedebistas, deputado federal Carlos Bezerra, negou que ele e qualquer outro aliado político estejam interferindo na escolha do secretariado da nova gestão da Prefeitura da capital. No entanto, Bezerra diz que vai garantir junto com o deputado federal Valtenir Pereira (PR) o repasse de R$ 2 milhões para que o prefeito eleito possa aplicar na capital, quando assumir o Palácio Alencastro. O valor já estaria destinado a ser empregado nas obras de reestruturação do Mercado do Porto, ponto mais tradicional de feirantes na cidade.

Ao afirmar que não tem feito indicações políticas, Bezerra relatou que teria recebido um telefonema de um líder comunitário dizendo que seu nome estaria à disposição para a composição do staff de Emanuel. O deputado frisou que teria respondido que não seria ele quem estaria à frente dessas articulações e sim o próprio prefeito eleito. “Ele pediu autonomia para escolher o secretariado. É ele quem está vendo isso e não eu”, disse Bezerra, relatando o que teria dito ao paridário.

"Ele pediu autonomia para escolher o secretariado. É ele quem está vendo isso e não eu”, respondeu Bezerra

Contudo, nos bastidores, cogita-se que Bezerra seria a pessoa que estaria coordenando a composição do staff do prefeito eleito em Cuiabá, já que teria trânsito na política local. Em Brasília, o peemedebista conseguiu articular apoio de dois senadores, além de outros deputados federais, como o próprio Valtenir e Ezequiel Fonseca (PP) para ficarem engajados na campanha de Emanuel.

Mercado do Porto

Segundo o deputado Carlos Bezerra, a liberação do recurso de R$ 2 milhões já está praticamente garantida para ser aplicada na reestruturação do Mercado do Porto, cuja obra total vai custar em R$ 6 milhões. De acordo com o deputado, os outros R$ 4 milhões seriam angariados em um segundo momento.

“Essa será a grande obra de Emanuel. Uma obra de impacto. É uma obra importante e nós queremos reformular aquilo, pois é um ponto turístico de Cuiabá, um ponto de visitação importante e não podemos deixa-lo da forma que está”, disse à reportagem.

Bezerra negou que já estaria definindo uma estratégia política mirando 2018, mas comentou que assim que Emanuel assumir a cadeira de prefeito o dinheiro já estará disponível para o investimento. “Assim que ele assumir e tiver o projeto em mãos já pode começar a obra ainda no ano que vem. Quando Cuiabá chegar nos 300 anos [em 2018] essa obra e outras obras também vão estar todas prontas”, frisou. 

Comente esta notícia