Cuiabá, 03 de Fevereiro de 2023
logo

09 de Dezembro de 2014, 20h:08 - A | A

POLÍCIA / MATOU CRIANÇA DE 1 ANO

Padrasto acusado de espancar criança até a morte continua foragido; mãe depõe na DHPP

Delegado André Renato da DHPP deve pedir na Justiça prisão preventiva de suspeito nos próximos dias.

JOÃO RIBEIRO
DA REDAÇÃO



Danyella Jhéssica Batista dos Santos, de 23 anos, mãe de H.B.G., de 1 ano e 9 meses, que morreu após ser espancado pelo próprio padrasto, prestou depoimento ao delegado André Renato, na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cuiabá, nesta terça-feira (9).

O crime ocorreu há três dias e a mulher acusa o marido, Tallys Henrique Piris Miranda, de ter agredido a criança, na madrugada de sexta-feira (5), no bairro Dom Aquino, região central de Cuiabá.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O suspeito está foragido e deve ter a prisão preventiva contra ele, expedido pela Justiça, nos próximos dias. Tallys teria espancado o enteado, porque tinha ciúmes do menino, que era fruto de um relacionamento antigo da esposa.

Ao RepórterMT, uma escrivã da DHPP, informou que Danyella compareceu a DHPP, mesmo após a morte de outro filho, recém-nascido, que estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário Geral (HGU), após o nascimento prematuro. Tallys seria pai do bebê.

DEPOIMENTOS

A avó materna da criança, já foi ouvida pelo delegado. Ela explicou que após a mãe encontrar o filho com vários hematomas no corpo, Tallys chegou de acompanhar a mulher com uma tia até o hospital, mas fugiu assim que chegaram na unidade de saúde.

Com a morte do menino, o corpo dela foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) que deve apontar as causas da morte.

Reprodução TVCA

crianca

Corpo da criança foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) que deve apontar as causas da morte.

 

O CRIME

Na madrugada de sexta-feira (5), Danyella teria deixado o filho aos cuidados do esposo para pagar uma dívida na lanchonete da tia. Cerca de meia hora depois, ao retornar a residência encontrou o filho desacordado e com vários hematomas no rosto, sendo que a boca estava muito roxa. Tallys estava na casa, mas não disse o que houve com H.B.G.

Em seguida, a mulher pediu ajuda a tia para levar o filho ao hospital. Na unidade médica, a criança chegou em estado grave e morreu no box de emergência. Com a morte, os médicos acionaram a PM. 

No hospital, os policiais ouviram a mulher e foram até a casa dela para prender o suspeito, no entanto, ele não foi encontrado.

Reprodução TVCA

mae

Mãe da criança prestou depoimento na DHPP nesta terça-feira (9).

Comente esta notícia