Cuiabá, 03 de Fevereiro de 2023
logo

21 de Novembro de 2014, 10h:30 - A | A

POLÍCIA / NOVEMBRO SANGRENTO

Mulheres são mortas em ‘bocas de fumo’ da Grande Cuiabá; uma foi estrangulada e outra baleada

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da capital investiga os crimes, mas até o momento ninguém foi preso.

JOÃO RIBEIRO
DA REDAÇÃO



A Grande Cuiabá registrou quatro homicídios entre a noite desta quinta-feira (20) e a madrugada de hoje (21). As vítimas foram duas mulheres e dois homens. Segundo informações preliminares da Polícia Militar, as vítimas estavam envolvidas com a criminalidade.

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da capital investiga os crimes, mas até o momento ninguém foi preso.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Por volta das 5h30 desta sexta-feira (21),  Roberto Alves da Silva, de 37 anos, foi morto a facadas no peito e nas costas. O assassinado foi registrado no bairro Serra Dourada, em Cuiabá.

Testemunhas disseram aos PM’s do 3º Batalhão, que a vítima que era vendedor ambulante, iniciou uma discussão com um homem no meio da rua. Durante o bate-boca, o autor do cirme sacou uma faca e o atacou, dando várias facadas.

Também no bairro periférico da capital, Pedra 90, Joel Gonçalo de Moraes, de 29 anos, morreu com tiros na cabeça e nas costas. Aos policiais militares do 24º BPM, testemunhas disseram que o homem estava escondido na residência, onde foi morto, diante de uma rixa com criminosos do bairro Coopahmil.

purusline

morte estrada

Corpos foram encaminhados para o IML, para fazer o exame de necropsia

 

Por volta das 21h desta quinta, mas em Cuiabá, no bairro periférico Três Barras, Janaina Regina Santos, de 31 anos, foi assassinada com tiros na cabeça. O corpo da mulher foi localizado no quintal de uma residência também usada como boca de fumo.

Em um dos casos ocorridos em Várzea Grande, no fim da tarde de quinta-feira, o corpo de Ana Maria Francisca foi encontrado em uma residência, no bairro Jardim Eldorado. Exame macroscópico do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a mulher foi estrangulada, porque tinha várias lesões no pescoço.

Testemunhas disseram que a casa onde o corpo foi encontrado servia como boca de fumo (ponto de venda e uso de drogas). Com isso, a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cuiabá, acredita que a vítima, que era viciada, poderia estar devendo traficantes, por isso, foi assassinada.

REPRODUÇÃO

DELEGADO SILAS

Delegado Silas Tadeu, titular da DHPP, deve designar outros delegados que irão investigar os quatro assassinatos

Comente esta notícia