Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

23 de Novembro de 2016, 16h:20 - A | A

POLÍCIA / APÓS FLAGRANTE

Estado exonera servidora que tentou entrar com celulares em presídio

Um Processo Administrativo Disciplinar foi instaurado para dar ampla defesa do contraditório, mas funcionária não conseguiu provar sua inocência

FRANCISCO BORGES
DA REDAÇÃO



A servidora Kerlly Cristina da Costa Monteiro, do Sistema Penitenciário de Mato Grosso, foi exonerada do serviço público por ter tentado entrar no Centro de Ressocialização de Cuiabá (antigo Carumbé) com três aparelhos celulares, um carregador e um chip da operadora TIM.

Ela foi flagrada com uma vasilha com um fundo falso, onde estavam escondidos os objetos.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A assessoria da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos explicou que Kerlly Monteiro não estava de serviço no momento em que foi flagrada cometendo a irregularidade.

No ato de exoneração, publicado no Diário Oficial do Estado que circula nesta quarta-feira (23), consta que a funcionária tinha ido à unidade prisional para visitar um parente que está detido. A Sejudh não divulgou o nome da pessoa reclusa.

"A tipificação da conduta e a punição do agente público que se utiliza do aparato estatal para a prática desse crime são medidas indispensáveis para o enfrentamento do crime organizado, que corrompe as instituições, e, há muito, se instalou no sistema prisional", diz trecho do ato de exoneração.

TRISTE ROTINA 

Tentar entrar com objetos escondidos em presídios é prática uma prática considerada corriqueira. 

Recentemente, duas mulheres foram presas em flagrante tentando entrar, com drogas escondidas nas partes íntimas, no Centro de Ressocialização de Cuiabá.

De acordo com os agentes penitenciários que atenderam a ocorrência, Uilma Santos Amorim, de 23 anos, e Stefane Jaqueline Santana, de 19, estavam com 500 gramas de maconha e iriam entregar o entorpecente para os maridos, que estão presos no CRC.   

Comente esta notícia