Cuiabá, 01 de Outubro de 2022
logo

16 de Agosto de 2022, 09h:33 - A | A

PODERES / FAKE NO TIK TOK

União representa contra deputado que postou vídeo atacando Mauro

União Brasil entrou com representação contra o deputado estadual Ulysses Moraes (PTB).

JOÃO AGUIAR
DO REPÓRTER MT



O União Brasil entrou com uma representação contra o deputado estadual Ulysses Moraes (PTB) após ele postar um vídeo atacando o filho do governador Mauro Mendes (União). A ação por fake news e propaganda antecipada negativa pede multa de até R$ 25 mil.

Ulysses é candidato a deputado federal e Mauro busca reeleição para governador no pleito que ocorre no dia 2 de outubro.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O documento foi protocolado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) nesta segunda-feira (15). Segundo o pedido, Ulysses publicou um vídeo no TikTok, na quarta-feira (10), atacando o filho do governador, o empresário Luis Mendes. O deputado disse que Luis tem negócios estimados em mais de R$ 2,7 bilhões e teria se beneficiado com a gestão do pai.

Leia mais

Virginia detona Ulysses após ataques: 'Desesperado por votos'

“O atual deputado estadual utilizando -se de fake news e de informações caluniosas e levianas, através de reportagens e sem qualquer prova das malsinações, que o filho do atual Governador do Estado de Mato Grosso possui negócios espúrios, e além disso, o Governador favorece a empresa do filho em licitações ou intervém nas negociações para favorecimento do negócio do filho”, argumenta a representação.

Ainda conforme o documento, o deputado também veiculou as postagens no seu perfil Instagram e em sua página do Facebook. “Vale consignar que as postagens estão sendo divulgadas de forma massiva em grupos do WhatsApp, inclusive, com outras pessoas fazendo a adição de figurinhas com imagens do Governador do Estado de Mato Grosso”, consta em trecho do documento.

Para o União, Ulysses utiliza o período pré-eleitoral para propagar fake news e realizar propaganda negativa antecipada. “Extrapolando o limite da crítica política, visando unicamente degradar a imagem do Governador e tirar proveito disso como opositor declarado da atual gestão estadual”.

O partido pede para que o TRE, em medida liminar obrigue as redes sociais TikTok, Instagram e Facebook a retirarem o conteúdo do ar e que Ulysses “se abstenha de novamente postar o referido vídeo”.

Comente esta notícia