Cuiabá, 09 de Agosto de 2022
logo

18 de Dezembro de 2017, 19h:27 - A | A

PODERES / NOVO PRONTO-SOCORRO

Taques e Emanuel firmam convênio de R$ 80 milhões para compra de equipamentos

Segundo o governador Pedro Taques, ficou acertado que o Governo repassará R$ 80 milhões para que a Prefeitura de Cuiabá faça a compra dos equipamentos do novo Pronto-Socorro.

CAROL SANFORD
DA REDAÇÃO



O governador Pedro Taques (PSDB) e o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) devem assinar na primeira quinzena de janeiro o convênio para a compra dos equipamentos do novo Pronto-Socorro de Cuiabá. Uma reunião entre os chefes dos Executivos estadual e municipal ocorreu nesta segunda-feira (18), no Palácio Alencastro.

"Serão repassados entre R$ 80 milhões a R$ 85 milhões, mas o valor exato será definido em reuniões que devem ocorrer até a primeira quinzena do próximo ano”, pontuou o governador.

Segundo Taques, ficou acertado que o Governo repassará R$ 80 milhões ao município.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

>>> Receba notícias no Telegram e fique bem informado

“Vamos firmar o convênio e a Prefeitura de Cuiabá ficou responsável pela licitação para a compra dos equipamentos. Serão repassados entre R$ 80 milhões a R$ 85 milhões, mas o valor exato será definido em reuniões que devem ocorrer até a primeira quinzena do próximo ano”, pontuou o governador.

Emanuel disse ter apresentado a Taques os modelos de gestão do novo Pronto-Socorro, assim como o modelo para o edital de licitação, que também deve ser divulgado em janeiro.

“Estamos finalizando o edital. Faltam alguns ajustes técnicos para que o certame ocorra sem problemas, já que são mais de 12 mil itens, entre equipamentos, aparelhagens, mobiliários. É uma nova conferência para que tudo transcorra dentro da normalidade e transparência”, explicou o prefeito.

O convênio entre Prefeitura e Governo foi acordado para que a bancada federal destinasse a totalidade de emenda parlamentar para que o Estado quitasse dívidas com a Saúde pública.

O valor de R$ 100 milhões será destinado ao pagamento do custeio dos hospitais regionais e unidades de saúde.

Comente esta notícia