facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

27 de Novembro de 2017, 14h:39 - A | A

PODERES / O CASO DA ATA

Senador diz que acusação de fraude por suplência é insana

O senador José Medeiros afirmou que ninguém acreditava na eleição de Pedro Taques ao Senado, quando ele desistiu de disputar a vaga de deputado federal para ser suplente.

RAFAEL DE SOUSA
DA REDAÇÃO



O senador José Medeiros (Podemos) chamou de “insana” a acusação feita pelo empresário Paulo Fiúza (SDD) - segundo suplente de senador - que o acusa de ter fraudado a ata da convenção partidária e o registro de candidatura, em 2010, para se tonar primeiro suplente e, consequentemente, assumir o mandato de Pedro Taques (PSDB), que deixou o Senado ao ser eleito governador em 2014.

“É uma coisa insana. A verdade era que ninguém acreditava na eleição do Pedro [Taques]", declarou o senador.

“É uma coisa insana. A verdade era que ninguém acreditava na eleição do Pedro [Taques]", declarou o senador em entrevista ao programa Conexão Poder.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Medeiros lembrou que era candidato a deputado federal, quando foi convidado para ser suplente de Taques, no lugar do deputado Zeca Viana que decidiu disputar a reeleição.

"Quando era candidato a deputado federal e o Pedro tinha entre 1% a 2% das intenções de votos o Zeca achou que a candidatura não iria a lugar nenhum. Quando me convidaram eu disse: Eu vou e ainda brinquei com meus colegas dizendo: virei senador”, destacou.

“Quem renunciou a primeira suplência do Pedro? Quem você substitui é o primeiro que saiu. Foi isso [que aconteceu]. Para que o segundo suplente assumisse a primeira, ele teria que renunciar. Então essa história de falsificação de ata é uma sandice porque não tem como falsificar e ele não tinha como estar na primeira suplência”, rebateu Medeiros.

Quando Taques se tornou pré-candidato ao Governo do Estado, em 2013, Fiúza entrou com um processo no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para se tornar primeiro suplente, afirmando fraude na ata.

O empresário alega que há um documento original que o colocava como primeiro suplente, no lugar de Zeca. Como prova Fiúza encomendou um exame grafotécnico, sendo que um laudo pericial apontou falsificação de assinaturas na ata registrada na Justiça Eleitoral.

“Quem renunciou a primeira suplência do Pedro? Quem você substitui é o primeiro que saiu. Foi isso [que aconteceu]. Para que o segundo suplente assumisse a primeira, ele teria que renunciar. Então essa história de falsificação de ata é uma sandice porque não tem como falsificar e ele não tinha como estar na primeira suplência”, rebateu Medeiros.

Medeiros comparou o ato de Fiúza com a candidatura de um prefeito e seu vice, afirmando que a acusação não passa de loucura.

“É igual uma eleição de prefeito e vice. Depois da eleição vem o vice e diz: não, o prefeito era para ser eu, sendo que o eleitor já votou no prefeito. É uma coisa doida”, observou.

“Registro de candidatura vai a campanha toda, vota e depois da eleição vem alguém e diz que não era isso. (...) Eu nunca entrei no lugar do Fiúza e sim do Zeca”, complementou.

Veja o vídeo

Comente esta notícia

ANTONIO 28/11/2017

Isso sim é insano - Senadores de MT torram R$ 1 milhão em 10 meses; Medeiros é "campeão"

positivo
0
negativo
0

Jota Passarinho 28/11/2017

O bacana desses comentários, é que a gente quase não entende o que o sujeito quer dizer. são frases recheadas de erros, sem pontuação e falta de acentos que dificultam o entendimento, além, da falta de conhecimento e informação. Por exemplo: o ex-governador não preso da Lava-Jato. A crítica é válida, mas não vale criticar por criticar, é preciso ter conhecimento dos fato e coerência na composição da frase.

positivo
0
negativo
0

Maria das Dores 28/11/2017

Sempre acompanhei isto é aqui em Sinop todos sabemos que Medeiros e o dono da vaga legalmente Fiuza já tem vários processos aqui e não são bons

positivo
0
negativo
0

Nilson dos Santos 27/11/2017

Verifiquei e isso mesmo é advogado do Silval Barbosa ex governador que tá preso pela lava jato

positivo
0
negativo
0

Celso 27/11/2017

Se vocês puxa as notícias vão ver que ele tentou mas sumiram com a tua da ata quando apareceu já estava o medeiros

positivo
0
negativo
0

Celso 27/11/2017

Eu trabalhei nesta campanha em Sinop e e verdade o Paulo viu se que era o primeiro suplente do ataques

positivo
0
negativo
0

Tiago 27/11/2017

Só um dado para pensar o juiz que está julgando o caso foi advogado do ex governador preso Silval Barbosa! Pesquisem! E aramadilha binooo!

positivo
0
negativo
0

Lucas Emanuel 27/11/2017

Piada isso! Só crianças para acreditar nisso poxa é só chegar à eleições e começou a baixaria! Porque não julgou-se antes! Perseguição pura

positivo
0
negativo
0

Joaoderondonopolis 27/11/2017

Este tal de Fiuza quer ganhar no tapetão! Porque só agora no final do jogo vem reclamar!

positivo
0
negativo
0

9 comentários

1 de 1