facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 13 de Junho de 2024
13 de Junho de 2024

29 de Maio de 2024, 16h:00 - A | A

PODERES / EXPORTAÇÃO DE MADEIRA

Empresários e representantes do Legislativo e Executivo estadual participam de feira internacional na França

DO REPÓRTERMT



Comitiva empresarial mato-grossense que representa 523 indústrias associadas ao Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira de Mato Grosso (Cipem) divulga produtos madeireiros de 46 espécies arbóreas nativas durante a Feira Carrefour International du Bois. A edição de 2024 está sendo realizada no Exponantes Park, em Nantes, na França, até amanhã, 30.

Na abertura do evento, nessa terça-feira, 28, estiveram presentes o presidente do Cipem, Ednei Blasius, o presidente do Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF), Frank Rogieri, o vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, a secretária estadual de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, o presidente do Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), Sílvio Rangel e a deputada estadual Janaína Riva (MDB).

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Aproximadamente 670 expositores de diferentes países apresentam produtos e soluções para os setores da construção, moveleiro e stakeholders. A feira bienal atrai profissionais de diversos segmentos relacionados à madeira, incluindo indústrias de processamento de madeira, fabricantes de máquinas e ferramentas, design de interiores, decoração, móveis e iluminação. O evento é uma plataforma essencial para descobrir inovações, estabelecer parcerias comerciais e acompanhar as tendências do mercado.

Blasius destaca os diferenciais dos produtos florestais de Mato Grosso que estão sendo demonstrados na Feira Carrefour International du Bois, em um espaço exclusivo e totalmente estruturado em madeira nativa, reservado para o Cipem. “Nossos produtos atendem a rigorosos critérios de rastreabilidade, qualidade e diversidade de espécies, com volume de produção suficiente para suprir a demanda de consumidores nacionais e internacionais”, destaca. “Mato Grosso tem 5,025 milhões de hectares de florestas manejadas e conservadas. Produz 7 milhões de metros cúbicos (m3) de madeira a partir de Planos de Manejo Florestal Sustentável (PMFS) e recolheu R$ 66 milhões em impostos (em 2022). É um setor importante para economia estadual, sendo o principal gerador de receita em vários municípios, além de ter um sistema de rastreamento da produção florestal (Sisflora 2.0) que é o mais eficiente do mundo, garantindo a procedência e legalidade dos produtos mato-grossenses”, arremata Blasius.

“Somos o único estado brasileiro com 100% da cadeia produtiva rastreada. Somos hoje um modelo para outros estados brasileiros”, afirma a secretária estadual de Meio Ambiente. “É um setor econômico que está dando exemplo para o Brasil e para o mundo e com essa união que busca resultados para resolver questões importantes e facilitar a vida do empreendedor”, complementa o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico.

Para o vice-governador de Mato Grosso, o mercado global adquire madeira mato-grossense por reconhecer sua procedência, qualidade e sustentabilidade, assegurada com planos de manejo florestal (PMF). “É importante o governo entender o que está acontecendo e onde o Estado pode facilitar a vida desse empresariado, para fazer do setor madeireiro um setor cada vez mais importante. Afinal, a conservação da floresta (por meio de planos de manejo florestal sustentável) é sequestro de carbono, sustentabilidade e melhoria de vida para todo mundo”, finaliza Pivetta.

O presidente do Sistema Fiemt reforçou o apoio ao setor de base florestal de Mato Grosso. “É um setor importante para nossa economia, gerando emprego e renda”, sintetizou. “Que possamos cada vez mais vender os produtos brasileiros com esse selo de sustentabilidade, demonstrando a viabilidade como outros países fazem, com muita responsabilidade”, concluiu Riva.

Comente esta notícia