Cuiabá, 09 de Agosto de 2022
logo

25 de Dezembro de 2017, 14h:00 - A | A

PODERES / PODRIDÃO POLÍTICA

Delação transformou MT em vitrine da corrupção e escândalos vão 'explodir' em 2018, dizem analistas

Os analistas políticos Onofre Ribeiro e Haroldo Arruda avaliam que a delação do ex-governador Silval Barbosa expôs esquemas de corrupção, que mancharam a imagem do Estado e irão gerar outros episódios de destaque nacional.

CAROL SANFORD
DA REDAÇÃO



Os analistas políticos Onofre Ribeiro e Haroldo Arruda acreditam que Mato Grosso se tornou uma vitrine da corrupção em nível nacional em 2017 e ainda será palco de muitos escândalos no próximo ano. Eles levam em consideração que a delação do ex-governador Silval Barbosa expôs esquemas de corrupção, que mancharam a imagem do Estado.

“Mato Grosso agora é uma vitrine das coisas ruins. Um Estado riquíssimo, mas que teve apenas a podridão da corrupção explorada por conta da delação do Silval”, disse Haroldo Arruda.

“Mato Grosso agora é uma vitrine das coisas ruins. Um Estado riquíssimo, mas que teve apenas a podridão da corrupção explorada por conta da delação do Silval”, disse Haroldo Arruda.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

>>> Receba notícias no Telegram e fique bem informado

Apesar de considerar 2017 como o ano dos escândalos, Onofre Ribeiro afirmou que o “mundo ainda vai cair” em 2018.

“Vamos ser mídia nacional todos os dias. O que ficou para baixo no tapete vai aparecer. Teremos muitos políticos em uma espécie de confessionário, contando todos os seus pecados”, declarou o analista.

"Vamos ser mídia nacional todos os dias. O que ficou para baixo no tapete vai aparecer. Teremos muitos políticos em uma espécie de confessionário, contando todos os seus pecados”, declarou Onofre ribeiro.

Para ele, a delação de Silval vai atingir juridicamente e politicamente os três senadores, oito deputados federais e 24 deputados estaduais de Mato Grosso.

“Não vimos escândalos. Muita coisa da delação ainda está no Supremo Tribunal Federal (STF) e não sabemos todos os detalhes. Vai explodir”, afirmou Onofre.

O analista apontou que com esse ciclo, o Estado passará por uma depuração.

“Isso é necessário e o que começar depois será melhor, mais correto e menos patrimonialista. Menos daqueles políticos de carreira, tradicionais, e mais gente do bem. Vai começar tudo do zero”, disse Onofre de forma esperançosa.

Delação

O ex-governador citou ao menos 246 pessoas ao longo de todos os depoimentos contidos em seu acordo de colaboração premiada fechado com o Ministério Público Federal (MPF). Políticos, ex-ocupantes de cargos públicos, empresários e outras figuras ligadas ao Governo durante sua gestão foram alvo de citações.

Na delação, foram citados deputados estaduais e federais, conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE), senadores, entre eles, o atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), e ex-secretários da gestão Silval.

Os esquemas culminavam em cobrança e pagamento de propina, fraudes em contatos e licitações, desvio de dinheiro para “caixa 2”, entre outros.

Comente esta notícia

MT mais importante 25/12/2017

Vamos releembar do Cepromat Faltou relatar caso Cepromat que realizou internamente ascensão na carreira de vários servidores sem promorver certame público com a previsão específica para as funções que a empresa publica deseja contratar. Solicito renomado site realizar uma levantamento pra verificar a autenticidade de fato. Como você entra nível médio e passa pra nível superior sem concurso. Solicite a seges a lista dos aprovado e verifique no portal do Iomat. https://www.24horasnews.com.br/noticia/bb-e-obrigado-a-fazer-concurso-publico-para-cargos-de-nivel-superior.html

1 comentários

1 de 1