facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 17 de Julho de 2024
17 de Julho de 2024

25 de Setembro de 2017, 08h:50 - A | A

PAPO RETO / CÉLULA MÃE

Juíza determina perícia em pendrive de delatora e marca novo depoimento de Riva

DA REDAÇÃO



A juíza da 7ª Vara Criminal, Selma Arruda, determinou que a delatora da Operação Célula Mãe, Marisol Castro Sodré, entregue um pendrive, em um prazo de cinco dias, com informações a respeito do "caixa diário" paralelo da Assembleia Legislativa, entre os anos de 2009 a 2013. A ordem foi dada na última sexta-feira (22).

O pendrive deve passar por perícia da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec). Após a averiguação, Selma marcará data para novo interrogatório do ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva.

A ação é um desdobramento da Operação Metástase e investiga o desvio de verbas de suprimento de fundos dos deputados estaduais utilizados para realizar pequenas despesas, que não precisam de licitação, no valor de R$ 2 milhões, durante o período em que o ex-deputado comandou o Legislativo estadual.

A contadora e ex-servidora da Assembleia disse, em depoimento em 2016, que parte dos desvios eram entregues por outra ex-chefe de gabinete de Riva, Maria Helena Caramelo, a uma das filhas do ex-parlamentar, a deputada estadual Janaína Riva (PMDB). Segundo Marisol, Janaína recebia R$ 4 mil em envelopes mensais “sem prestar os serviços previstos nas verbas de suprimento”. A deputada nega as acusações.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Comente esta notícia