Cuiabá, 29 de Setembro de 2022
logo

07 de Dezembro de 2013, 10h:39 - A | A

PAPO RETO / PINDAÍBA

Investigadores têm que comprar até comida para presos

DA REDAÇÃO



Denúncia encaminhada à redação do RepórterMT  via rede social dá conta de que policiais (os poucos que há) da delegacia de Querência (927 km de Cuiabá), norte de MT, passam por situações nada confortáveis. De acordo com a reportagem da Rádio lider FM, o  efetivo é mínimo  e conta apenas com dois investigadores. A delegacia local não tem condições para cumprimento de pena ou prisões preventivas, mas mesmo assim, recebe presos, já que não há unidade prisional na região. Os investigadores, segundo a emissora, realizam uma função para qual eles não foram treinados e nem qualificados, a de agentes prisionais. 

A reportagem lembra que a responsabilidade da Policia Civil com o preso é de apenas 24 horas, mas detentos ficam até mais de 30 dias aguardando a transferência. E a situação fica ainda pior, pois a delegacia não oferece nenhum tipo de alojamento seguro, alem disso o Estado não manda verba de alimentação, sendo assim, os investigadores e o comercio local fazem têm que colocar a mão no bolso para dar comida aos presos, que mesmo sendo poucos, cerca de 10, requerem vigilância e cuidados. É o fim da picada!

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Comente esta notícia