Cuiabá, 08 de Fevereiro de 2023
logo

30 de Novembro de 2022, 06h:08 - A | A

OPINIÃO / MAX LIMA

Você sabia que o smartwatch faz monitoramento corporal?



Depois do surgimento dos smartphones e tablets, os smartwatches, também chamados de relógios inteligentes, são a ferramenta tecnológica que vem ganhando espaço no mercado e também os pulsos das pessoas ao redor do mundo. Isso ocorre por conta das facilidades que esse dispositivo oferece para o nosso dia a dia.

Mas afinal o que é um smartwatch?
Já ouviu falar em tecnologia wearable (ou vestível)? O termo consiste em aparelhos inovadores que o usuário carrega no corpo ao longo do dia. Os mais populares da atualidade são os relógios, os óculos e as pulseiras.

É nesse contexto de uso que está o smartwatch, um aparelho portátil desenvolvido para ser vestido no pulso. Ele é muito parecido com um celular, já que contém tela sensível ao toque e comporta aplicativos. Serve de complemento para o seu smartphone a fim de tornar o uso de apps bem mais cômodo e intuitivo.

O diferencial desse dispositivo fica por conta de sua capacidade de personalização de uso, além de realizar funções úteis que o celular sozinho não consegue fazer, como monitorar batimentos cardíacos e contar passos e distâncias de percursos.
Grande parte dessas funções dependerá da conexão Bluetooth com um smartphone para funcionar, mas já existem modelos que são livres dessa dependência. Isso significa que daqui a alguns anos todos os smartwaches serão independentes.

Quais as funções do smartwatch?
Um smartwatch com bom custo-benefício é capaz de favorecer as necessidades diárias do usuário. Portanto, é válido reservar um tempo para pesquisar o modelo mais adequado, considerando as funcionalidades que listamos a seguir.

Monitoramento corporal  
Se você deseja potencializar os resultados da dieta e da prática de exercícios físicos, procure um aparelho com funções voltadas ao monitoramento corporal. Esses recursos incluem acompanhamento das calorias perdidas, contagem dos passos dados e controle cardíaco.

Um exemplo é o novo smartwatch Mormaii Life, que monitora nove opções de atividades físicas em tempo real, tanto pelo próprio aparelho quanto com o auxílio do celular por meio do app Mormaii Smartwatches para celulares iOS ou Android.
Os diferenciais de monitoramento correspondem ao nível de oxigenação no sangue, pressão arterial, ciclo menstrual e alertas de sedentarismo configuráveis, que permitem escolher uma periodicidade maior dos alertas durante os fins de semana ou feriados, por exemplo.

Também é possível avaliar o sono do usuário, com metas customizáveis de descanso, sendo que o modo de relaxamento ajuda com diversos exercícios de respiração guiada.

Pessoas que gostam de praticar exercícios ao ar livre também gostam desse recurso que é o GPS que informa a rota e a distância percorridas durante as caminhadas ou corridas. Mas por que é vantajoso ter um relógio inteligente com essa funcionalidade se o próprio celular já a oferece?

Com ele você tem um mapa em seu pulso, o que facilita o acesso aos locais que precisa chegar, principalmente se você está a pé e não quer ficar com o smartphone na mão o tempo todo para conferir o caminho e ficar distraído.
Ele vai além de mostrar o trajeto, mas também emite alertas — com vibrações leves — sobre mudanças de rota ou direções a tomar, sendo muito mais cômodo para passar pelos lugares.

Vale a pena ter um smartwatch?
Se você é uma pessoa que gosta de monitorar e cuidar da sua saúde, bem como não abre mão das comodidades tecnológicas da atualidade, com certeza investir em um relógio inteligente vale muito a pena.

Uma questão importante a ser considerada é que se o seu objetivo for monitorar a sua saúde, como treinos profissionais mais intensos, performance e gasto energético, por exemplo, os aparelhos do tipo podem ter uma pequena perda de sensibilidade (no sensor que fica em contato com a pele) e não avaliar muito bem a frequência cardíaca (especialmente em casos de exercícios de alta intensidade). Nesses casos, a cinta que é usada no tórax se torna um acessório mais fiel, com captação mais regular, mais confiável e com menos falhas. Mas se o seu objetivo for direcionado para monitoramento do seu dia-a-dia, frequência cardíaca, contagem de passos, gasto calórico, eles funcionam muito bem.

Ao ter um smartwatch em seu pulso, você terá a oportunidade de monitorar o desempenho do seu organismo em tempo real e, caso surja alguma anormalidade, saberá exatamente quando procurar auxílio médico para fazer a consulta, realizar exames específicos e o tratamento mais apropriado. Dessa forma, você tem a chance de evitar o agravamento do seu problema.

Há um estudo em andamento que avalia, inclusive, se um aparelho específico (Apple Watch) pode ser uma ferramenta que funcione como eletrocardiograma e sinalize para o usuário se ele está com alguma arritmia, por exemplo. Ainda é um primeiro passo, mais estudos precisam ser feitos, mas esta talvez seja uma ferramenta muito útil para pacientes e cardiologistas.

Max Lima é médico especialista em cardiologia e terapia intensiva, conselheiro do CFM, médico do corpo clínico do hospital israelita Albert Einstein, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia de Mato Grosso(SBCMT), Médico Cardiologista do Heart Team Ecardio no Hospital Amecor e na Clínica Vida , Saúde e Diagnóstico. CRMT 6194

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia