Cuiabá, 05 de Outubro de 2022
logo

06 de Dezembro de 2013, 08h:57 - A | A

OPINIÃO / REINALDO DO CARMO

O erro faz parte da natureza humana

Conheci certa vez um grande executivo.

REINALDO DO CARMO



Conheci certa vez um grande executivo. Excelente profissional e um ser humano extraordinário, qualidades que fazem dele um exemplo a ser seguida, sua filosofia de trabalho, no relacionamento com seus colaboradores, eram sempre que dava uma ordem a alguém, se colocava inteiramente à disposição para esclarecer quaisquer dúvidas, por mais simples que fossem. Achava melhor que realizariam, de forma a evitar que inúmeros erros fossem cometidos por falta de esclarecimento.

Muita gente, ao receber instruções sobre um trabalho, parece ter certo receio de fazer perguntas, como se ter dúvidas fosse sinal de incapacidade profissional. Nada disso. Perguntar demonstra, sim, interesse em preparar-se bem para realizar da melhor forma possível aquele trabalho. Ninguém tem obrigação de entender tudo à primeira explicação, mesmo porque, muitas vezes, quem dá a ordem não consegue fazê-lo de maneira clara e satisfatória.

Tirar dúvidas é precaver-se contra os erros. E um trabalho bem feito, sem perda de tempo, é muito melhor do que um trabalho que necessitou de várias correções, que poderiam ter sido final satisfatório. Ainda mais se for considerado que, normalmente, os profissionais correm contra o relógio, tendo que cumprir seus prazos.

Portanto, é preferível perguntar, antes de errar. E quanto aos chefes mais impacientes, que não apreciam dedicar seu tempo a tirar as dúvidas de seus colaboradores lembre-se de que isso é muito melhor do que ter que lidar com os pequenos ou grandes, erros que resultam da falta de uma boa explicação.

Por mais que busquemos a perfeição em tudo aquilo que fazemos, fatalmente cometeremos algum erro. A tentativa natural das pessoas, no entanto, é ocultá-lo principalmente em questões de trabalho, pois o bom profissional as imagina.
Errar, todos erram uma vez ou outra. Mas é justamente ao reconhecer seus erros, em vez de escondê-los ou ignorá-los, que o profissional se mostra mais valoroso. É preciso ter coragem para assumir a autoria de uma falha. Mas é justamente dessa coragem que surge a força de lutar por um desempenho perfeito. Reconhecer os erros é a única forma de transformá-los nos degraus que levam a um nível profissional.

Reinaldo do Carmo de Souza é professor da Universidade de Cuiabá – UNIC, pelo Programa de Expansão Universitário – PEU.

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia