Cuiabá, 12 de Agosto de 2022
logo

29 de Dezembro de 2017, 07h:55 - A | A

OPINIÃO / ALECY ALVES

Fim de ano

Estou falando de política, de ética na gestão pública



Neste final de ano até que algumas notícias nos motiva ao voto nas eleições de 2018 e à luta cotidiana por melhorias e, principalmente, a acreditar na possibilidade de mudanças nos rumos do país. Estou falando de política, de ética na gestão pública. 

Talvez, ainda estou em dúvida, acontecimentos que até bem pouco tempo soariam estranhos aos nossos ouvidos e surpreenderiam nossa visão nos façam acreditar que esse país ainda tem jeito. Que não é necessário acabar com tudo para recomeçar do zero. 

Assistir políticos como Paulo Maluf ser preso depois de fazer história e ser sinônimo de corrupção. Preso mais de duas décadas depois de começar a ser denunciado por falcatruas na administração do dinheiro público. Depois de instituir informalmente o verbo "Malufar" (quem não sabe do que se trata consulta o Google). Realmente não tem preço. 

O mais grave de toda a trajetória dele não são as acusações e condenados, mas saber que continuou sendo eleito e reeleito infinitamente pelos mesmos eleitores que lesava. Agora o deputado federal Paulo Maluf, não sabemos por quantos dias, está no presídio do Complexo da Papuda, em Brasília. 

Não podemos nos esquecer ainda das condenações do ex-governador carioca Sérgio Cabral. O sujeito está preso, ou melhor, continua preso, e já tem sentenças que somam quase 90 anos de prisão. Se continuar assim seriam necessárias diversas vidas para que ele pudesse pagar pelo que fez, na prisão, claro. 

Outras notícias, que também tem como origem a gestão pública, nos desanimam. E muito! O aumento da conta de energia previsto para 2018, por exemplo. Quando a gente pensa que não tem mais para onde saltar o valor, lá vem outra paulada. 

Também, o que esperar, e dizer, de um Governo, o de Michel Temer, que é aprovado por apenas 6% e reprovado por 74% (ruim e péssimo)? Esse é o resultado da última pesquisa Ibope, divulgada nesta quarta-feira (20.12), encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). 

Para 2018 "Eu fico com a pureza da resposta das crianças É a vida, é bonita e é bonita. Viver e não ter a vergonha de ser feliz. Cantar.. (E cantar e cantar...) A beleza de ser um eterno aprendiz Ah meu Deus! Eu sei... (Eu sei...) Que a vida devia ser bem melhor e será Mas isso não impede que eu repita É bonita, é bonita e é bonita E a vida? E a vida o que é diga lá, meu irmão? Ela é a batida de um coração? Ela é uma doce ilusão?". Acreditando, sempre, sempre! 

ALECY ALVES é repórter 

alecy.pa@gmail.com 

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia