Cuiabá, 05 de Outubro de 2022
logo

10 de Dezembro de 2013, 16h:32 - A | A

JUDICIÁRIO / ESCÂNDALO DOS MAQUINÁRIOS

Eder diz que \"só autorizou\" compra e empurra bronca para Marchetti e De Vitto

Éder Moraes negou qualquer participação em irregularidades no Caso do Escândalo dos Maquinários

ABDALLA ZAROUR
DA REDAÇÃO



Os réus Blairo Maggi (PR), Vilceu Marchetti e Geraldo de Vitto não compareceram à Justiça Federal, em Cuiabá, para participar da audiência de instrução do ‘Caso dos Maquinários’ presidida pelo juiz federal Julier Sebastião da Silva, nesta terça-feira (10). De acordo com os advogados de Maggi, Marchetti e De Vitto, eles não foram citados para participarem da audiência. A imprensa não teve acesso aos interrogatórios, mesmo a audiência sendo pública.

O único a comparecer na sede da Justiça Federal foi o chefe do Escritório do Governo, Eder Moraes. Antes de entrar, Moraes falou com o RepórterMT sobre o assunto.

O ex-secretário de Fazenda da gestão Blairo Maggi nega que tenha envolvimento com qualquer irregularidade na aquisição das 705 máquinas compradas pelo Estado e distribuída aos municípios em 2010.

”Participei de um processo de aprovação de limites dando condições ao Estado pra se fazer a aquisição. Já o processo de aquisição não aconteceu na minha pasta (Sefaz), minha pasta não é finalística. Era uma pasta que apenas aprovou o limite de crédito. Nós aprovamos o limite, demos condições para o Estado pudesse fazer essa aquisição”, pontuou.

Mesmo sem saber se foi intimado a estar presente, com essa declaração, Moraes ‘empurra’ a responsabilidade do caso para as secretarias de Administração, sob Geraldo de Vitto à época, e Infraestrutura, sob Vilceu Marchetti, secretário durante a gestão de Maggi.

Ação dos Maquinários

O advogado Félix Marques que trabalha para o autor da ação dos Maquinários, Antônio Gaeta, disse acreditar em provas suficientes para condenar os envolvidos no suposto escândalo. “Não minha opinião não tem dúvida, o relatório do Estado, a perícia conclusiva. Eu acredito que haja condenação dos réus.

Já o advogado Ulisses Rabaneda, que faz a defesa do secretário de Infraestrutura, Vilceu Marchetti, explicou que essa ação que corre na Justiça Federal não fala de corrupção, não fala de fraude em licitação. Segundo ele, a audiência é para saber se houve ou não sobrepreço nas máquinas adquiridas. “Foi feito uma perícia nas máquinas e nos caminhões e essa perícia detectou em vários lotes que não houve sobrepreço. Em relação aos secretários nada ficou demonstrado”, observou.

Rabaneda, diferente do advogado Félix Marques, acha muito difícil o processo ser julgado hoje.

O advogado de Geraldo De Vitto, Flávio Bertin, também negou que o seu cliente tenha tido qualquer participação na suposta irregularidade.

Escândalo dos Maquinários

O 'Escândalo dos Maquinários' apareceu durante o governo do então governador Blairo Maggi (PR). O próprio chefe do executivo quando soube da possível irregularidade na aquisição das 705 máquinas que foram distribuídas para os 141 municípios do Estado mandou a Auditoria Geral do Estado fazer um levantamento sobre o caso. A AGE descobriu que o processo licitatório do programa MT100% equipado  teria sido superfaturado em R$ 44 milhões.

 Ouça o áudio onde Eder Moraes afirma que não tem envolvimento e que só fez a aprovação dos limites para aqusição dos Maquinários.

Anexos

Comente esta notícia

luciano 10/12/2013

olha os cientistas tem que desemvolver R$ com rastreador embutido, pois a grana ta na conta de alguns !!!! é so fazer quebra do sigilo bancario e outros!!! ai ai... fora o R$ da COPA!!! MUDA BRASIL!!! o lesgislativo so corrupçao o executivo ...tambem

1 comentários

1 de 1